25.11.15

BRASÍLIA DESACORDADA COM A PRISÃO DO SENADOR DELCÍDIO. PLANALTO E SENADO DESORIENTADOS

HELIO FERNANDES -


Às 8 da manhã ele já estava caminho da prisão, não teve nem tempo de tomar café. Os que iam acordando ou sendo acordados, recebiam a noticia, desesperados. Na véspera, a detenção de Bumlai, empresário apresentado sempre como "como grande amigo de Lula e que tinha passe livre no Planalto,quando ele era presidente", implantou definitivamente susto, o pânico, "o que será de mim amanhã?”. Com o senador foi preso também o banqueiro André Esteves, que estava sempre nas manchetes dos jornais ou dos holofotes da televisão.

Como ele tem mandato, muitos perguntavam. "Não respeitam nem mandato?". Respeitam, só que o sigilo é maior do que tudo. Ontem,terça, ninguém sabia de nada, mas o Supremo já autorizara a prisão do senador com mandato e tudo.Já está numa cela especial, tiveram alguma consideração: seu advogado está preso junto com ele.

Alegação: o senador atrapalhava as investigações, segundo informações ou informes, oferecera rota de fuga para presos da Lava-jato, isso ainda não confirmado. No momento, 9 da manhã, existem mais suposições do que outra coisa. O que falam: os 58 políticos investigados ha meses mas sem nada acontecer, pode m sumir de casa a qualquer momento.

O que muitos esperam: a imediata intervenção do Procurador Geral pedindo o afastamento de Cunha da presidência da Câmara. Quando o Ministro Marco Aurélio falou que Cunha devia sair espontaneamente num recado ao Procurador Geral: "Pede o afastamento que o Supremo concede".

Planalto e senado desorientados

As 11,10 começou reunião da Turma do Supremo que trata com exclusividade tudo que vem da Lava jato. São 4 Ministros e mais o próprio Zavaski. Por unanimidade, 5 a 0 votaram referendando a prisão do senador. Com isso, responderam indiretamente aos que diziam, "só o Delcídio senador pode prender senadores." Levaram ao desespero os 58 parlamentares que foram citados publicamente ha meses. E deram razão a Dona Dilma que queria saber quem entraria na vaga de Delcídio.

10,30 começou reunião no Planalto, presidida pela própria Dilma; A reunião, natural, surpreendente a motivação: saber quem vai substituir Delcídio no senado. Quer dizer que já dão a ausência como determinada e demorada?

Há essa hora ninguém sabia de nada, mas os que tinham ou tem boa memória, não queriam lembrar que Delcídio foi diretor da Petrobras, no auge dos "acontecimentos", portanto, ele, a empresa, propineiros e empreiteiros devem ter relacionamento.

Isso pode transforma-lo em conivente ou mantê-lo como inocente,é preciso esperar. Mas não podem desacreditar do Ministério Publico ou do Supremo.

O senado ficou logo cheio, principalmente do PT. Muito barulho, revolta (?) e a afirmação repetida: "Só quem pode prender senador é o senado". Afirmação desmentida pelos fatos, o senador estava preso e nenhum senador sabia ou soube do fato com antecedência.

No senado esperavam com ansiedade a chegada de Gleise Hofman, que foi eleita depois de deixar a importante chefia da Casa Civil. Enquanto escrevo,ela não chegou.Como eu disse antes, bem cedo,surpresa e repercussão com a prisão do banqueiro do Pactual, tido e havido como de grande poder.

Mas logo depois que ele chegou á policia, já apareciam anotações com ligações dele com a Petrobras. Abusou do lugar comum: ”Estou á disposição para qualquer explicação". A Polícia Federal e o Ministério querem explicação e sim o nome de parceiros. (Hoje será o assunto dominante, e eu aqui enquanto puder publicar fatos novos).