25.11.15

TERRORISMO NO MUNDO, TERRORISMO NA BOVESPA

HELIO FERNANDES -


Esta quarta feira caminha para o fim, no Brasil a perplexidade é geral. Não por corporativismo, mas por instinto de sobrevivência, o senado tenta salvar e libertar Delcídio Amaral.  Reunidos praticamente o dia todo, não encontram um caminho que leve ao objetivo. “Não conseguem fugir da frase feita,” "o Supremo não pode prender senadores".

Quando a decisão era única e monocrática do Ministro Zavaski, tinham esperanças. Mas quando ás 11 da manhã, passou a ser de 5 Ministros, desanimo mas não desistência. Só que não sabiam o que fazer.

Isso no Legislativo. Só que no Executivo a perplexidade se acumulava com a incompetência. Às 17 horas ainda não haviam conseguido publicar uma simples nota oficial. Passaram horas discutindo quem substituiria o líder preso, esqueceram que ele está no cargo quase o segundo mandato inteiro, e aparentemente ainda não tomou posse. Na quarta feira, quase chegando o tão esperado recesso parlamentar ,ele estava em Mato Grosso, onde foi preso. Na visão do governo não faria diferença da prisão em Brasília, pelo menos estaria trabalhando.

Legislativo e Executivo, dois Poderes enfraquecidos e desmoralizados, mergulhados na lama, que já se sabia, não existia apenas na região da Samarco-Rio Doce. Muita coisa acontecerá, isso é obvio, o pior de tudo é que atinge o pais, com números e perspectivas cada vez mais desesperadas e desesperançosas.

No resto do mundo a preocupação geral é com o terrorismo.

O presidente da França esteve com Obama, está indo para a Alemanha. Ás 17 horas, Angela Merkel da tribuna do Parlamento, garantiu: Daremos toda força e mandaremos tropas para combater essa covardia. Da Alemanha, o presidente da França irá a Moscou onde passará o fim de semana. Holland, a revelação de um grande personagem, que tenta reunir o mundo para derrotar o terrorismo.