4.12.15

A REPRESÁLIA DA AUDÁCIA CORRUPTA CONTRA O GOVERNO COMPLACENTE

HELIO FERNANDES -


Há mais de 6 meses a palavra impeachment domina o noticiário, é pronunciada com entusiasmo nas reuniões de bastidores, cultivada de forma diferente nos diversos partidos, ditos de oposição ou de situação, verdadeiramente nem uma coisa nem outra. A mídia, impressa ou digital, nenhum contra, apenas nas palavras contraditórias, ontem a chave igual era RETALIA, podiam ter usado REPRESÁLIA, alternativa e rigorosamente verdadeira.

Nenhum mistério haverá chantagem e guerra suja em larga escala. Já começou. No seu estilo habitual, depois de acordar, na sua primeira afirmação: "A presidente mentiu”. Isso se repetirá durante o longo processo, vou centralizar minha participação jornalística, em fatos que interessam ao leitor e que levarão muitos meses.

1- O recesso parlamentar começa no próximo dia 22, todos querem cortejar a opinião publica que protestará contra a interrupção.
2 - Surgirão centenas de recursos, legítimos ou ilegítimos, começando ou terminando no Supremo, que a partir de agora, de hoje, terá papel relevante.

Quanto tempo levará até o julgamento final

A própria Constituição estabelece: "Encaminhado ao Senado se o processo durar mais de 180 dias o presidente volta ao cargo, embora o processo continue”. Isso é consequência do fato do presidente ser afastado até o julgamento final pelo Senado.

Novos personagens

Eduardo Cunha não resistirá muito tempo. Ele diz, "as ruas darão a palavra final, cumpro a vontade deles". Fanfarrão corrupto e irresponsável tenta fingir que não sabe que as ruas que pedem o impeachment de Dona Dilma, acrescentam: “Sem Eduardo Cunha"!

Como irão durar meses, e o julgamento final é presidido pelo presidente do Supremo, Lewandowski já terá saído, chegado a vez da vice Carmem Lucia.

Eduardo Cunha já terá deixado a presidência e a própria Câmara, muito antes da votação. Só que como as negociações ou acordos naturalmente espúrios feitos agora, poderão não valer para depois, é preciso esperar. Mas haja o que houver, sempre acreditando no Supremo.

Antigos personagens

Renan e Temer são experientes na tramitação e votação do impeachment. Mas não são catedráticos em coerência. Renan, líder e amigo de Collor foi o principal artífice dos 441 deputados que votaram contra ele. Trabalhou para FHC não ser substituído, ganhou o Ministério da Justiça.

Em matéria de sobrevivência política, mesmo sem ter o menor lastro eleitoral, Temer parece o malabarista de Nossa Senhora, personagem do famoso conto de Anibal Machado. (Irmão de Cristiano Machado candidato a presidente em l950, favoritíssimo pelo fato de ser apoiado pelos majoritários PSD e PTB, que votaram em massa em Getulio Vargas. Como compensação, Cristiano foi embaixador no Vaticano. Temer e Renan ganharam uma carreira política para a vida toda).

Abstenção, fator importantíssimo

Até agora, desperdiçam tempo principalmente na poderosa televisão, mas não deram uma palavra sobre o assunto. Cubro o Congresso, a Constituinte e a vida parlamentar desde 1945, jamais assisti uma votação no plenário, sem abstenção. Isso terá enorme influencia no resultado.

Contei aqui ontem, Vargas derrotou os que pretendiam derrota-lo, 24 deputados não apareceram. No caso de FHC foram 100. Agora, Temer que trabalhou contra Collor, foi a favor de FHC, hoje age em proveito próprio. È vice, se Dilma perder o cargo, é ele que assume, no mínimo por alguns meses ou alguns anos.

Assim que o pedido de impeachment foi para o plenário, ela telefonou para ele. E logo depois chamou-o para conversar no Planalto. Inacreditável, Temer é candidatissimo e alem do mais controla o PMDB, principalmente o da Lava jato.

Números inquestionáveis, que valem para hoje, para toda a ação da Câmara e do senado e para os julgamentos.

Mas os atropelamentos normais e anormais. De efetivo não houve nada. Só a escolha dos 65 nomes que formarão a Comissão, uma lista lida vergonhosamente pelo ainda presidente da Câmara.

1- Essa lista terá que ser votada e aprovada pelo plenário. Mas como já trabalharam muito, marcaram para a próxima terça feira.

2- Hoje sexta, quase ninguém sairá de Brasília e no resto da semana a mesma coisa.

3- Estão marcadas varias reuniões de bastidores, de conspiradores, quase todas clandestinas. O que se repetirá muito. Importantes mesmo, só as grandes votações, que ainda demorarão.