21.12.15

ESCOLA ABANDONADA LEMBRA CENÁRIO DE GUERRA E MORADORES FAZEM ” OCUPA CIEP” EM PROTESTO; VEJAM O VÍDEO

Via Correio do Rio -


Como se não fosse suficiente toda a falta de respeito do ” poder público” para com o cidadão, agora que se aproximam os jogos olímpicos e as obras faraônicas que acompanham – com dinheiro não apenas municipal, mas como também estadual e federal – temos muito pouco a comemorar.

Após a desativação do CIEP Esther Botelho, já há algum tempo, o governo do estado repassou a administração da unidade à FAETEC sendo que a mesma não se responsabilizou, ficando assim o edifício com todo o mobiliário escolar e diversos insumos abandonado.

O resultado é chocante, um verdadeiro cenário de guerra:  livros apodrecendo, maquinário depredado, pichações, furto de cabos elétricos e janelas, uso indevido do espaço para pasto animal e depósito de estrume.

O edifício do CIEP 446, localizado em Niterói, se tornou então um foco de doenças e ilícitos, sem qualquer conservação ou manutenção.  O que um dia foi um lugar seguro para todas as crianças e jovens da comunidade se tornou uma amarga lembrança de tempos melhores. Antigos alunos do CIEP se mostraram consternados por não poderem ver seus filhos usufruírem da mesma qualidade que aquela unidade sempre proporcionou à região.  Alguns inclusive se queixaram de terem seus filhos transferidos para escolas em áreas de alto risco e infra-estrutura muito inferior se comparadas ao CIEP Esther Botelho.

Eis que alguns moradores iniciaram uma ocupação para dar utilidade social ao imóvel, com atividades recreativas e esportivas para as crianças, e hoje, neste domingo, 20 de dezembro de 2015, esta ocupação foi oficialmente declarada  OCUPA CIEP.

Com o apoio de vários grupos como a Juventude Socialista, o movimento Reinventar, o movimento DE OLHO NA EDUCAÇÃO e o MTST, iniciou-se o já mencionado OCUPA CIEP com o intuito de não apenas revitalizar aquele espaço mas também de exigir do poder público o devido respeito à população e ao dinheiro do contribuinte, outrora muito bem empregado na construção dos CIEPs e agora totalmente desperdiçado com melhorias que só atingem camadas mais privilegiadas da população, fechando as escolas de áreas menos favorecidas.

VÍDEO: