12.12.15

PAPO DE BAR V

EMANUEL CANCELLA -


Gostei do nome da operação “Vidas Secas – Sinhá vitória”, da Policia Federal, para investigar indícios de superfaturamento em obra de Transposição do Rio São Francisco, de responsabilidade do governo federal. E agora a operação Zelotes quer ouvir Lula, sobre a venda de medida provisória, que nem foi editada por Lula. Já convocou o filho de Lula e o ministro, sob a mesma suspeita.

Mas a mesma Polícia Federal não convoca os citados na operação como o empresário Jorge Gerdau, o principal beneficiário do esquema, além dos bancos Bradesco, Safra, Santander, Pactual, Bank Boston, as montadoras Ford e Mitsubishi. Alguém pode achar que, ao convocar o filho de Lula e o ex-ministro Gilberto de Carvalho, e agora o próprio Lula, por suspeitas infundadas, a Polícia Federal esteja jogando uma cortina de fumaça para proteger os citados nominalmente, com provas, já até com divulgação na imprensa, na operação Zelotes.

Além de os verdadeiros citados na operação Zelotes não serem indiciados, estranho também é a Policia Federal não efetuar operação para apurar, não simples indícios, mas crimes provados e continuados, como a construção do aeroporto de Claudio com dinheiro público, e em terras da própria família, pelo ex-governador tucano Aécio Neves; bem como o Trensalão, crime de recebimento de propina, que envolve os governadores tucanos Mario Covas (falecido), José Serra e Geraldo Alckmim e a gritante corrupção da Petrobrás no governo de FHC, que além das citações em varias delações premiadas na Lava Jato, o próprio FHC assume a corrupção no livro “Diários da presidência”. Sou defensor da autonomia para a PF investigar, mas tem que investigar todos, de preferência os citados no processo!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).