22.12.15

POETAS E POESIAS DE ONTEM E HOJE

CELLY ADELINA -


Educar? tirar do ventre... conceber, ir além... Quem poderia entender? Dor e Alegria, como Jeremias... em sua profecia? Quanto cabe de dor? Quanto de alegria?

É preciso mais, muito mais, de nós professores, para um mundo assim... tão cheio de nada e futilidades! Romper às vezes, muitas das quais permitir... Olhar para as leis, entender o que as motivam, cuidar das exceções... ponderar, permanecer imparcial... Educar! sofrer o corte e coçar todas as cicatrizes... feito punhal vê-las pingar estrelas.

Revelação
À medida,
que sopram os acordes do cotidiano,
E se espera mais, a menor nota faz sentir:
O que era vazio, vai tomando corpo
Tornando suficiente e pleno
Todas as dores são consoladas
Fazem ponte ao perene.
Não haverá ressurreição sem cruz;
Mas o jugo será leve;
Como são leves as obras feitas no amor;
No escorrer a completude do conhecimento;
Mitigadas; tanto as opressões,
Quanto diminutos são os opressores;
Conhecida a missão.
Perdidas, medidas.
Contempla, envolve e permeia:
Plenitude de ser... Na carência e no próspero.
Graduações do ensinamento
Evoluir; não perfeito (próprio ao Divino), melhor...
Saborear das luzes, palatar dos sons, gozo excelso.

Da pele a ‘alma; Enquanto humano,  escolher  ser.