28.12.15

RETROSPECTIVA SINPOSPETRO-RJ: AS AÇÕES EM 2015

SINPOSPETRO-RJ -

Apesar da crise econômica que afetou vários setores em 2015, os trabalhadores dos postos de combustíveis do estado e do município do Rio de Janeiro conseguiram fechar com sucesso as Convenções Coletivas e conquistaram aumento real nos salários. O SINPOSPETRO-RJ também desenvolveu várias ações durante o ano para melhorar a saúde e a segurança no ambiente de trabalho. Essas intervenções resultaram numa parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que vai beneficiar toda a categoria. O ano também foi de grandes vitórias na Justiça do Trabalho para os frentistas.

As principais ações desenvolvidas pelo sindicato neste ano você acompanha, em duas partes, na Retrospectiva 2015.

Parte I

JANEIRO: No dia 21 de janeiro entrou em vigor a lei 6.964/14, que proíbe o abastecimento de combustíveis além do limite da trava automática das bombas. A lei de autoria do deputado Paulo Ramos(PSOL) é uma grande conquista para categoria, pois reduz o risco de problemas de saúde. De acordo com Organização Mundial de Saúde (OMS), a liberação de benzeno ocorre quando o tanque do veículo é cheio “até a boca”. O benzeno, substância encontrada na gasolina, é considerado cancerígeno.

FEVEREIRO: No dia 24 de fevereiro, a FIOCRUZ apresentou ao sindicato o relatório parcial da pesquisa Caracterização de Riscos Relacionados à Exposição Ocupacional ao Benzeno realizada com trabalhadores de postos no município do Rio de Janeiro. Apesar de parcial, o resultado chamou a atenção pelo alto índice de alterações nos exames clínicos. Dos 120 trabalhadores submetidos a pesquisa, 32  apresentaram uma diminuição nos valores de leucócitos no sangue, o que é um efeito característico pela exposição ao benzeno. Esse resultado representa 28% dos trabalhadores que participaram do projeto entre 2010 e 2013.

MARÇO: Nem mesmo os primeiros sinais da crise econômica no país, ofuscou o brilho do fechamento da negociação salarial dos trabalhadores de postos de combustíveis do município do Rio de Janeiro. A categoria, com data-base em 1º março, conquistou reajuste salarial de 9,75% mais R$ 380,00 de Participação nos Lucros e Resultados. O sindicato também conseguiu incluir na Convenção Coletiva, a cláusula que permite aos trabalhadores, que têm carro, optarem em substituir o vale-transporte pelo mesmo valor do benefício em combustível. Mas a grande conquista foi a inclusão da cláusula que torna obrigatória a negociação salarial anual. Isso significa que em 2016, trabalhadores e patrões se reunirão para negociar o aumento do salário.

ABRIL: No dia 7 de abril, data de fundação do SINPOSPETRO-RJ, os quatorze diretores eleitos pela categoria são empossados na sede da entidade, que fica no Grajaú, Zona Norte do Rio.  Durante o ato, o presidente do sindicato, Eusébio Pinto Neto, disse que a diretoria tem a missão de defender os direitos dos trabalhadores e buscar melhorias para a categoria. As mulheres representam 29% da diretoria e passaram a desempenhar um papel importante nesta administração. As frentistas são representadas no sindicato pelas diretoras: Aparecida Evaristo, Angela Mattos, Cláudia Jarbas e Derliana de Souza.

MAIO: O Dia do Trabalhador - 1º de maio- foi celebrado por toda a família frentista com uma grande festa para categoria. Quem participou do evento pôde ver o time do Posto Lins conquistar o tricampeonato do Torneio de Futebol do SINPOSPETRO-RJ. Os grandes felizardos foram Antônio Bernardino dos Santos Filho e Sidney Mendes Paiva que ganharam uma moto no sorteio dos brindes. O sindicato também promoveu um trabalho de ação social com emissão de carteira de identidade, orientação sobre escovação dos dentes, aferição da pressão arterial, exame para medir a taxa de açúcar no sangue e distribuição de kits de beleza.

JUNHO: O agravamento da crise econômica no país- com demissões e redução de salário- não impediu que o SINPOSPETRO-RJ fechasse com sucesso a negociação dos trabalhadores dos postos do estado. As negociações tiveram início antes mesmo da data-base 1º de junho e resultaram num aumento salarial de 9,84% para a categoria. O sindicato também conseguiu alterar a cláusula da cesta básica dando ao empregador a opção de fornecer cesta de produtos ou ticket alimentação no valor de R$ 90,00. A assinatura da Convenção Coletiva também garantiu aos trabalhadores uma PLR de R$ 380. Como no acordo do município do Rio, a grande conquista foi tornar obrigatória a negociação anual. Em 2016 a categoria volta a discutir o aumento do salário.

A retrospectiva termina amanhã.