9.1.16

1º ATO CONTRA O AUMENTO DA PASSAGEM NO RJ EM 2016

Via Mídia Independente Coletiva -


A 1ª Manifestação contra o aumento de passagens de ônibus de 2016 no Rio começou com muita força.

Cerca de 4 mil pessoas participaram do protesto, marcado para a Cinelândia. Os manifestantes foram até a ALERJ, seguindo então pela Candelária e finalmente para a avenida Presidente Vargas, rumo à Central.

Em todo o percurso muitas faixas e batucadas de várias bandas presentes ajudaram a expressar indignação com o aumento de abusivo no valor das passagens.

A manifestação, ao chegar à Central, ficou dividida. Enquanto algumas pessoas rumaram para a Supervia, outras ficaram recuadas, especialmente no entorno do carro de som que servia de palanque para discursos.

Depois de algum tempo sem qualquer acontecimento, começaram explosões, que desencadearam rapidamente num embate entre a guarda municipal e praticantes da tática black bloc. A primeira bomba de gás lacrimogêneo da guarda foi lançada próximo aos black blocs. Já a segunda foi lançada 100 metros à frente, no meio da manifestação, com o intuito de dispersá-la.

Rapidamente a manifestação se dissipou, com duas frentes principais se formando: uma que recuou pela Presidente Vargas, até a Rio Branco, com barricadas de lixo pegando fogo no caminho e outra que chegou ao terminal rodoviário atrás da Central, onde a resistência continuou por bastante tempo.

Na manifestação foram quebradas as vidraças de alguns bancos e também de um ônibus da PMERJ. Um comandante da PM, coronel do 5º BPM, chegou a sofrer com dois cones arremessados por um black bloc em sua cabeça e costas.

A manifestação indica que a população não aceitará o aumento de passagem calada, tal como em 2013.


LEIA TAMBÉM: