5.1.16

”A PM É TREINADA PARA PROTEGER O ESTADO, NÃO O CIDADÃO”

ILUSKA LOPES -


O badalado e premiado Wagner Moura critica a atuação da polícia militar brasileira em ótima entrevista concedida a Revista Fórum. Segundo ele, a corporação vê como inimigos os moradores de comunidades pobres e reforça a política equivocada de “guerra às drogas”, que gera mortes e violência, mas não resolve o problema do tráfico. O ator lembra que essa é uma metodologia importada dos Estados Unidos, um dos países que mais consomem drogas no mundo, restando à população latina o ônus desse mercado.

Ele alerta para a necessidade de desmilitarização da polícia como uma maneira de coibir atos de tortura, abusos e outras violações de direitos vistas com frequência no país. “A PM é treinada para proteger o Estado, não o cidadão. Para isso é treinado qualquer militar. Basta ver como age a PM contra manifestantes”, denuncia.

REVISTA FÓRUM – Puxando para o contexto brasileiro, de que forma você vê a chamada “guerra às drogas” e a militarização da polícia?

WAGNER MOURA – A polícia precisa ser desmilitarizada. A PM é treinada para proteger o Estado, não o cidadão. Para isso é treinado qualquer militar. Basta ver como age a PM contra manifestantes e, especialmente, contra aqueles considerados “inimigos do Estado”.

No Brasil, o morador de favela assume a função de “inimigo do Estado” toda vez que tem sua casa invadida sem mandato judicial, toda vez que é vítima de abusos, tortura, toda vez que tem seus direitos desrespeitados por agentes do governo. É nas favelas que a polícia atua na guerra às drogas. Essa política de enfrentamento é uma orientação dos Estados Unidos para toda a região sul-americana.

Os Estados Unidos são os maiores consumidores de drogas do mundo, mas essa guerra não acontece no território deles, ela se dá nos bolsões de pobreza dos países produtores e exportadores.

Está claro que é uma política falida que só gera mortes e violência na América Latina. As drogas são um problema sério de saúde e devem ser tratadas como tal. O Estado tem que legalizá-las, controlá-las e tratar seus dependentes e não gastar rios de dinheiro com essa guerra sem sentido.

* Trecho da entrevista de Wagner Moura para Revista FórumLeia a matéria completa no link http://goo.gl/7qNlR1.