16.1.16

CHUVA, PRISÕES E REVOLTA EM MAIS UM ATO CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS NO RIO DE JANEIRO; CONFIRA O VÍDEO

Via Jornal A Nova Democracia -
No dia 15 de janeiro, cerca de mil pessoas tomaram as ruas do Rio de Janeiro debaixo de um temporal em mais um ato contra o novo aumento das tarifas de ônibus em todo o Estado. O ato começou na Cinelândia, Centro da cidade, e seguiu até a Central do Brasil, onde o povo soltou o verbo contra o aumento.
Trabalhadores que moram fora da cidade e todos os dias migram para a capital para chegar ao serviço contaram que, nas linhas intermunicipais, o aumento chega à 2 reais em alguns casos. Moradores de rua e camelôs também não pouparam palavras e mostram-se indignados com a onda de repressão levada a cabo pela prefeitura com vistas às Olimpíadas do Rio.


Ao fim do protesto, PMs iniciaram uma onda de agressões para tentar dispersar os manifestantes. Várias pessoas foram agredidas. Uma mulher foi ferida na canela por um estilhaço de bomba de efeito moral e teve que ser socorrida pelo corpo de bombeiros. Representantes de coletivos de mídia independente foram atacados por policiais e um deles, que transmitia o protesto ao vivo, teve seu celular furtado por um PM.
Uma professora foi presa por desacato por ter qualificado como racista a conduta de um policial ao revistar a bolsa de um morador de rua. Nesse momento, vários outros relatos de arbitrariedades cometidas por PMs estão chegando à redação de AND e a qualquer momento podemos publicar novas informações.