4.1.16

DO “ENGAVETADOR GERAL DA REPÚBLICA”, NO GOVERNO DE FHC, AO “ENGAVETADORES GERAIS DOS TUCANOS”, NO GOVERNO DO PT

EMANUEL CANCELLA -


No mensalão, o ministro Joaquim Barbosa, que chefiou a investigação, esqueceu-se do mensalão tucano, que foi anterior ao do PT e já está prescrevendo sem julgamento. A sociedade sabe que o problema de Joaquim Barbosa é de coluna, não de memória.

Na lava Jato, o juiz Sérgio Moro parece que também padece de problema de memória com os tucanos, já que nada faz contra os senadores tucanos Antonio Anastasia e Aécio Neves, apesar de citados em delação. Com Aécio já é a segunda vez! Lembrando que Moro participou da operação do Mensalão e aí, também, protegeu os tucanos!

Altamente suspeito também é que o governo tucano de Fernando Henrique Cardoso, na Petrobrás, citado em delação premiada, várias vezes na Operação Lava Jato está fora da investigação. Como a debochar de nossa Justiça,  FHC ainda confessou em seu livro “Diários da Presidência” que houve corrupção na Petrobrás, em seu governo.  E ainda, parecendo um jovem “coxinha”, o velho FHC ainda tem a coragem em falar de impeachment da presidente, é demais!

Assim como no mensalão, os tucanos estão zerados na lava Jato! E o grupo de procuradores do MPF estão atrás das milhões de assinaturas para implementar as dez medidas contra a corrupção. Esse grupo, que hoje compõe a força tarefa da Lava Jato, no governo de FHC combatia ferozmente o PGR, Geraldo Brindeiro, também conhecido como “Engavetador Geral da República”. Esses procuradores, conhecidos como “Tuiuiuis”, justamente por afirmarem se sentir como a ave por não conseguirem levantar vôo com Brindeiro engavetando tudo.  Estranhamente estão na Lava Jato corroborando com a blindagem aos tucanos!
Será que foi a ausência das dez medidas que fez o Ministério Público de Minas arquivar, por duas vezes, o escândalo da construção do aeroporto de Claudio pelo governador Aécio Neves, construído em terras da própria família, e com dinheiro público?

E o Trensalão, vinte anos depois do escândalo que envolve vários governadores tucanos (Mario Covas/falecido, José Serra e Geraldo Alckmin), até agora só atingiu os executivos do metrô. Quantas décadas serão necessárias para atingir os governadores, os principais culpados?

Resta uma esperança, o Procurador Geral Da República, Rodrigo Janot, que já mandou arquivar uma vez a denúncia de recebimento de mensalão de Aécio Neves, em Furnas, através da irmã, recebe pela segunda vez denúncia de recebimento de propina de R$ 300 mil, envolvendo Aécio Neves, agora da construtora UTC.

Será que o PGR desta vez denuncia Aécio? Janot disse que iria analisar a denúncia depois do recesso. Estranhamos a lentidão do PGR, que agiu tão rápido em outras denúncias, e agora trata-se de reincidência. Será que Janot vai quebrar a “blindagem” dos tucanos?

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).