22.1.16

FHC, DILMA E LULA FORAM E SÃO OS CHEFÕES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. AFINAL ELES TE REPRESENTAM?

ROBERTO MONTEIRO PINHO -


Do Mensalão ao Petrolão, uma agenda cujos nomes já são do conhecimento público, todos indiciados, tidos como envolvidos/culpados, e todos os caminhos levam a Lula.

O risco da abertura de um processo criminal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem autuação de capa, o favorecimento do seu governo(s), para com o dinheiro público, comprar apoio político no Congresso. Ou seja, manter a maioria de votos a favor do governo, que para a sociedade é a tal sustentabilidade de governo, ou seja: assegurara a governabilidade.

FHC governou assim, Lula da Silva também governou assim e a presidente Dilma Rousseff, não consegue governar nem assim.

Este tem sido o grande dilema dos corruptos e corruptores da alta cúpula da nação, onde as figuras não usam símbolos, mas tem o rótulo e marca de poderosos chefões na influencia administrativa.

Por isso a Petro foi para o espaço, com suas distribuidoras, e refinarias, bem lembrado a BR Distribuidora, agora com o combustível da desgraça corruptora entregue nome por nome, na delação de Nestor Cerveró diretor nomeado na diretoria internacional em 2008, mero fruto da gratidão de Lula por conta da quitação de um empréstimo irregular no valor de R$ 12 milhões.

O dinheiro foi obtido pelo pecuarista José Carlos Bumlai em 2004, quando então dividiu dando ao PT R$ 6 milhões. Tudo declarado, assistido e assinado na delação premiada de Cerveró.

A Lava Jato, trabalha no caso, que chegou a tudo, seguindo o desmanche do grupo, por conta da morte do ex-prefeito de Santo André (SP), quando a Petrobrás contratou Schain Engenharia para operar o navio-sonda, Vitória 10.000, por US$ 1,6 bilhão.

Tem Partido dos Trabalhadores no elenco, com atores que já faturaram desde o mensalão, a Lava jato, e agora numa inquietante expectativa por conta da abertura da caixa preta do BNDES.

Há pouco uma matéria publicada na revista ISTOÉ, revelou que: (...) Além de envolver Lula no empréstimo do amigo Bumlai, Cerveró disse que o ex-presidente deu ao senador Fernando Collor (PTB-AL) “influência política” sobre a BR Distribuidora. “Isso significa que as nomeações na estatal seguiam um script político nada republicano”, comenta o procurador.

No mesmo documento, Cerveró aponta para a presidente Dilma Rousseff. De acordo com ele, Collor teria dito que “havia falado com a presidente, a qual teria dito que estavam à disposição dele (Collor) a presidência e todas as diretorias da BR Distribuidora”.

Agora, a oposição quer levar Cerveró para depor no Congresso, o que poderá fortalecer o processo de impeachment, e vai solicitar que as informações obtidas pela Lava Jato sejam anexadas ao processo que tramita no TSE.

Uma nação de 204 milhões está sendo representada por políticos que estão na mira do Polícia Federal e do Tribunal Superior Eleitoral -TSE. FHC, Dilma e Lula, afinal eles te representam?

Estamos realmente num momento crucial político, na definição sobre a moralidade pública, tema que não tem tido tratamento a altura de sua real importância.