30.1.16

LAVA-JATO E MÍDIA, EM DESESPERO, ENTRAM NA CANOA FURADA DA HISTÓRIA DO BARCO SEM MOTOR DE LULA

EMANUEL CANCELLA -

Eu imaginei uma lancha luxuosíssima, com dona Marisa de maiô, na proa, a la Titânic, e com o Lula ao lado tomando um uísque importado.

Todos lembram que a queda de Collor teve como pivô um Fiat Elba. Na verdade, o governo Collor, ao invés de colorir o país como prometera, envolveu-se num mar de lama. A Lava Jato sonha em trazer de volta a história de Collor com o Fiat, agora com Lula e o barco sem motor.

Se contra Collor existia um mar de lama, inclusive o confisco da poupança, contra Lula e o governo Dilma conta a favor a saída do Brasil do mapa da fome da ONU; a superação em 33% da meta da mortalidade infantil imposta pela OMS e UNICEF; o pagamento da dívida com o FMI e hoje somos cotistas do Fundo; a retirada de 36 milhões de brasileiros da zona da pobreza, através da Bolsa Família e o melhor, e foi nos governos de Lula, o desenvolvimento de tecnologia inédita no mundo, o que propiciou a descoberta do pré-sal e também a retomada da indústria naval.

Como nada encontram contra Lula apelam para nora, filho, amigo, triplex que não comprou, casa de praia que não é dele e  agora a pérola, apontada com estardalhaço pela Folha, um barco sem motor. Eu imaginei uma lancha luxuosíssima, com dona Marisa de maiô na proa a la Titanic, e com o Lula ao lado tomando um uísque importado. Seria bom botar foto do Lula remando o bote, ao lado da esposa, daria mais realismo à denúncia! Pois Lula, além de tudo, é participativo, como mostra a foto, indo para a praia com isopor de bebidas na cabeça.

Mas o povo já está percebendo a tramoia e a Lava Jato já está ficando sem água, como mostram as pesquisas publicadas no blog Viomundo de 29/01/16.

“Em pesquisa do Instituto Vox Populi ,de dezembro de 2015, apenas 24% dos entrevistados disseram manter o mesmo elevado interesse do início da Lava Jato, taxa idêntica àquela dos que “não têm qualquer interesse pelo assunto e nunca tiveram”. Outros 18% afirmaram que “tinham muito, mas agora a acompanham sem interesse”, enquanto 10% responderam que “tinham muito, mas perderam completamente o interesse”. Entre os restantes, 21% “nunca tiveram grande interesse e assim permanecem” e 3% “nunca ouviram falar” no assunto.”

E a mídia, principalmente a Globo, grande mentor da Lava Jato, vai começar a abandonar o barco, que não é o do Lula. Fez isso com Collor, Joaquim Barbosa e o mesmo vai fazer com o juiz Sérgio Moro.

É sintomática a postura da força tarefa da lava Jato que faz debate só a portas fechadas, com pessoas escolhidas a dedo. Enquanto isso, na campanha do petróleo, que visa principalmente defender a Petrobrás, as reuniões são abertas com ampla divulgação a sociedade, até jornalistas da Globo já estiveram presentes em mais de uma plenária. Fazemos ato em praça pública para defender a Petrobrás, mesmo durante a lava Jato. Quem não deve não teme!

A atitude da Lava Jato, exasperada, agora apelando para o um barco sem motor, é típica de doente no CTI; do suicida à beira do abismo ou de paciente final em busca da eutanásia. Vamos aguardar os próximos capítulos, em primeira mão, como sempre no Jornal Nacional da Globo, pois se o barco está indo a pique, eles são como anfíbios, e não estão mortos!   Ainda vão aprontar muita coisa, principalmente para tentar inviabilizar a candidatura de Lula em 2018.

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).