8.1.16

NO "FUTEBOL DO 7 A 1" TEMOS O TRIO DE CLUBES INCOMPETENTES

WILSON DE CARVALHO -


Apenas um mês do início do Campeonato Carioca e da Taça Libertadores, Flamengo, Fluminense e Botafogo tentam uma opção que substitua o Maracanã e o Engenhão, requisitados para as Olimpíadas. Esquecem os estádios do Vasco e do América, este com a força de mais de quatro milhões de residentes na Baixada Fluminense e com estação de trem em frente, metrô em 15 minutos e ônibus e vans de praticamente todo o Rio.

Ao que tudo indica, o falido trio de incompetentes sofre a ameaça de repetir a média irrisória de público em Macaé e Volta Redonda, desrespeitando, inclusive, os torcedores cariocas. No estádio do América, pelo Estadual do ano passado, o Fluminense levou sete mil pessoas em jogo contra o Bangu, que tinha o mando de campo. Em outros jogos da dupla Fla-Flu, em Édson Passos (dez minutos de Anchieta, bairro do Rio), há alguns anos, mais de dez mil pessoas compareceram. Por jogo. Detalhe: o estádio também tem iluminação e setores separados que podem dividir muito bem as torcidas. Inclusive com acessos em ruas diferentes. Estacionamento é pequeno, é verdade, mas dá com folga para autoridades, diretores e imprensa, em cabines refrigeradas.

Importante ressaltar que as grandes massas populares, em todo o mundo, seja qual for o evento, se deslocam em transportes coletivos, o que sobra em Édson Passos, repito, a dez minutos do Rio, em Anchieta. Mas eles preferem, não se sabe o porquê (...), a pior solução. De acordo com o futebol do 7 a 1 com problemas até o pescoço. Dentro e fora de campo.