29.1.16

O PAÍS ENCOLHEU E PARA 2016 A PREVISÃO É DE 2,5%

ROBERTO MONTEIRO PINHO -


O ano de 2016 inicia angustiante para os brasileiros. Não existe perspectiva de estabilizar a economia, solucionar a crise política e moralizar o segmento público. As demandas de ordem legal, não se resolvem o troca-troca do governo não convence, justamente onde estão localizados os maiores percalços para que o Brasil saia do atoleiro.

O Bird (Banco Mundial) divulgou no dia 6 de janeiro um relatório da entidade, que traz uma redução significativa nas previsões para o desempenho econômico do país, estimando que o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil feche 2016 “encolhendo” 2,5%. Este ano, entre os países da América Latina e Caribe, o Brasil só deve ter desempenho "menos pior" que o da Venezuela, que tem previsão de contração de 4,8%.

Neste tsunami de problemas, o mais grave de todos - o desemprego deslancha a cada momento, com notícias de demissões em massa, nos setores mais cruciais da economia a indústria e o comércio. O emprego industrial acumulou perdas de 6% nos 11 primeiros meses do ano de 2015 e 5,9% no período de 12 meses. A queda acumulada em 12 meses (-5,9%) é a mais intensa da série histórica do indicador, iniciada em 2001. Sem emprego, não existe renda, e sem dinheiro não gera emprego. É o circulo vicioso que o Brasil se encontra, sem que o governo saiba identificar exatamente onde e como atacar o problema.

Há pouco o Grupo Malwee, de Jaraguá do Sul, empresa que atua no ramo de moda têxtil há quase 50 anos e há 33 em Blumenau, anunciou aos seus 300 colaboradores o fechamento de uma das suas unidades. Os trabalhadores foram pegos de surpresa no primeiro dia depois do retorno de um período de 30 dias de férias coletivas. O Grupo Malwee é uma das principais empresas de moda do Brasil e uma das mais modernas do mundo.

Atualmente, produz mais de 80 milhões de peças por ano, compondo as coleções de suas dez marcas: Malwee, Scene, Enfim, Mercatto, Wee!, Malwee Brasileirinhos, Liberta, Zig Zig Zaa, Carinhoso e Puket, além da coleção especial Eu Abraço Sustentabilidade com Estilo. A empresa conta com 8 unidades fabris, 40 mil pontos de vendas multimarca e mais de 350 lojas monomarca.

Já a fábrica de monitores e painéis digitais da Philips e da AOC em Jundiaí, no interior de São Paulo, será fechada. A planta pertence à Envision, empresa do grupo chinês TPV Technology, que detém a produção dos monitores das duas marcas e ainda fabrica aparelhos para outras companhias. A fábrica da TPV em Jundiaí emprega 530 pessoas. Destas, 320 serão demitidas.

Na política o quadro também se repete. Mensalão, Petros, Lava jato entre outras fizeram sucumbir desastradamente todo alicerce econômico do país. Muitos apontam, supra comunidade, que a presidente Dilma Rousseff é desastrosa e despreparada para estar no cargo. Enquanto os movimentos sociais, nem de longe apresentam líderes que convençam, ainda neste momento sofrem ataques que em muitos casos saem das suas próprias entranhas, com situações de envolvimento com agremiações de esquerda e adesistas.

Por sua vez, Dilma procura se manter jogando com informações, de que seu possível sucessor na ordem hierárquica no caso de seu afastamento é pior do que ela. É aquele velho jargão: “o roto falando do esfarrapado”.