2.2.16

A GLOBO, CADA VEZ MAIS, ESTÁ LONGE DE SER UM EXEMPLO PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA

EMANUEL CANCELLA -

O Globo: “O pré-sal pode ser patrimônio inútil”.

Segundo o jornal O Dia, de 27/1: “Aos 75 anos, o  jornalista Berto Filho é acolhido no Retiro dos Artistas. Esse profissional luta contra câncer no estômago. Ele já esteve à frente do Jornal Nacional e Fantástico, da TV Globo.” Cadê a política social da Globo? Digo isso porque a Globo vive a criticar os hospitais públicos e as aposentadorias, mas não protege os seus!. Estamos falando de um jornalista do Jornal Nacional  e do Fantástico, imagine os outros funcionários e jornalistas menos célebres!.
Não tem política social, respeito às leis trabalhistas e fiscais e muito menos democracia, pois há pouco demitiu o jornalista Sidney Resende por postagem em seu facebook.
Segundo o jornalista Paulo Nogueira, do blog Diário do Centro do Mundo, de 15/09/15:
Não foi só a demissão de Sidney Rezende um dia depois de um artigo crítico sobre a mídia que me chamou a atenção.
Foi também um aspecto lateral.
Rezende não foi demitido. Não renovaram seu contrato.
É igual, mas é diferente.
Significa que ele sai da Globo News e da Globo sem os direitos trabalhistas clássicos.
Significa, também, que a Globo, confiante em sua impunidade, há muito armou um esquema de sonegação no seu RH.
Você pode até tentar aceitar a utilização de PJs em empresas em condição desesperadora.
Mas na Globo?
Basta ver o patrimônio multibilionário de seus donos para verificar que este tipo de sonegação é um escárnio contra a sociedade e contra a decência.
Basta ver também a transfusão copiosa de dinheiro público para a empresa para ver o tamanho do descaro.
A Globo é a empresa que, a todo momento, tenta desmoralizar a Petrobras. No governo de FHC, tentou manchar a imagem da Petrobrás comparando-a a um “Paquiderme” e chamando os petroleiros de “Marajás”. E não fez por acaso, a intenção era diminuí-la para vendê-la mais barato, como conseguiram fazer com a Vale do Rio Doce, vendida a preço de banana! FHC e a Globo não entregaram a Petrobras aos amigos porque os petroleiros se insurgiram, fazendo greve de 32 dias, e liderados pelo SINDIPETRO/RJ foram até a porta da Globo, em manifestação. Na ocasião cem petroleiros foram demitidos e cada sindicato grevista pagou multa de cem mil reias por dia. Conseguimos evitar a privatização, mas a quebra do monopólio foi efetivada.
A resposta da Petrobrás e dos petroleiros veio em 2006. Com o desenvolvimento de tecnologia inédita no mundo e a descoberta do pré-sal, presenteou-nos com a maior reserva de petróleo do mundo contemporâneo, garantindo abastecimento para os próximos cinquenta anos. O pré-sal já produz mais de um milhão de barris por dia, o suficiente para abastecer juntos todos os países do MERCOSUL.
As reservas da Petrobrás, com o pré-sal, chegam a mais de 100 bilhões de barris de petróleo, mesmo com o preço do petróleo a U$ 30 o barril alcançamos a cifra de U$ 3 trilhões, valor igual às reservas cambiais da China, as maiores do Planeta. É essa empresa que a Globo comparou a um paquiderme e chamou os petroleiros de marajás e que hoje ainda a Globo diz em editorial “ O pré-sal pode ser patrimônio inútil”. Na verdade, quem é inútil é a Globo, que além de sonegadora do Imposto de Renda da Copa do mundo de 2002, tem conta no HSBC da Suíça para lavagem de dinheiro, como qualquer traficante de droga. E ainda trata de forma desumana seus empregados!
*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).