20.2.16

SUGESTÕES DE NOMES A SEREM CITADOS

EMANUEL CANCELLA -

Como agora as prisões podem ser antecipadas para facitar a vida dos juizes e do PGR, vão aí algumas sugestões de nomes a serem citados.


Como as prisões estão facilitas segundo o STF, e agora podem acontecer em segunda instancia mando publicamente minhas sugestões conseguidas através do Google, onde toda a sociedade tem acesso. Quero deixar claro que esses dados não foram obtidos através de vazamento, muito menos seletivo.

Juiz Sérgio Moro: Crime de espionagem, convocou os procuradores americanos para investigarem a Petrobrás, e não mandou nossos procuradores para investigarem a petroleira Chevron americana. A Chevron foi citada no Wikeleaks em 2009 que interceptou a troca de telegramas entre a empresa e o senador tucano José Serra. A troca de correspondência era no sentido de favorecer a Chevron e prejudicar a Petrobrás.

Moro chefia a operação Lava Jato que é acusada de grampos ilegais, vazamentos seletivos de delação, principalmente para Globo e o BTG o banco do André Esteves, prisões ilegais e ligações inconteste com os tucanos os quais nunca mandou investigar apesar das inúmeras denuncias e delações. Moro ainda contraria os desígnios da magistratura quando blinda o PSDB varias vezes citado na operação e ataca sistematicamente Lula, Dilma e o PT. Inclusive mentindo quando vazou para imprensa noticias que faltaria dinheiro na PF para a Lava Jato. A própria PF tratou de desmentir, e afirmar que havia com sobras dinheiro na instituição.

Mentiu também como chefe da Operação permitiu o vazamento para imprensa, isso, as véspera da eleição que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás, esse fato foi desmentido pelo próprio advogado do delator. Com sua, atitude tanto no caso do dinheiro para a PF, como no caso da Petrobrás o juiz Moro desrespeitou dois símbolos da República: A Presidência e a vice presidência.

Senador José Serra: delapidação do patrimônio público. Denuncia do Wikeleaks em 2009 ligam o senador a petroleira Chevron em prejuízo da Petrobrás. Alem disso Serra é autor da PLS 131/15 que tem o mesmo de teor de favorecimento as multis em especial a Chevron.

Família Marinho dona das Organizações Globo: Sonegação do imposto de renda da transmissão da Copa do mundo de 2002; Conta no banco HSBC na Suíça para lavagem de dinheiro junto com a Band, Folha, Grupo RBS, Editora Abril responsável pela revista Veja e outros. Construção de um triplex de luxo em Paraty, no estado do Rio de Janeiro em área de preservação ambiental. Principal suspeita nos crimes de corrupção da FIFA, pois foi durante décadas monopolistas das transmissões esportivas, com o agravante que seu principal sócio a TV TEM de São Paulo é réu confesso no processo.

Fernando Henrique Cardoso: Compra de votos para reeleição, Privataria Tucana, corrupção na Petrobrás inclusive reconhecido em seu próprio em livro. Segundo a Folha 17/02/16: “FHC usou empresa para me mandar dinheiro no exterior, diz ex-namorada” Tudo fez FHC para ocultar o romance fora do casamento e um filho.

Senador tucano Aluysio Nunes: Brasil 20/09/15: Citado na Lava Jato por receber R$ 300 mil, Aloysio é denunciado por improbidade na campanha de Aécio.

Deputado Eduardo Cunha presidente da Câmara: Não vamos ficar aqui listando as inúmeras denuncias contra Cunha, vamos citar a frase de Aracy de Almeida ela dizia: 'Esse e um cara que não resta a menor duvida.

Senador Aécio Neves: Duas vezes citado na operação lava Jato. Segundo denuncia tinha controle de uma diretoria de Furnas de onde através da irmã recebia mensalão. Construiu quando governador de Minas um aeroporto na cidade de Claudio em terras da própria família e com dinheiro público.

Senador Antonio Anastasia: G1, 28/08/15: Tucano foi citado por policial  federal afastado, Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como "Careca" como beneficiário de R$ 1 milhão de propina.

Creio que a partir dessa mudança na lei pelo STF cada brasileiro deveria mandar suas sugestões publicamente para facilitar a vida do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot e dos juízes. Esperamos que essa decisão do STF não seja para fortalecer a tese lamentável de que no Brasil só os três ‘p’ vão preso: preto, pobre e a prostituta!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).