13.2.16

É HOJE SÓ, AMANHÃ NÃO TEM MAIS...

ALCYR CAVALCANTI -

Acabou o "Carnaval da Crise". Mas que crise, quando se fala em carnaval. Foram dez dias de muito samba, marchinhas, funk, Beatles e muito calor, muito suor, e muita  cerveja, apesar de  tudo estar muito caro, desde os desfiles ao inoportuno aumento de passagens para satisfação dos donos do transporte, com passagens cada vez mais caras e com um serviço cada vez mais confuso e pouco eficiente. As declarações feitas pelo diretor da Beija-Flor Laila dirigidas principalmente à Unidos da Tijuca revoltaram o presidente Fernando Horta e empanaram um pouco o brilho e a lisura do julgamento das escolas do Grupo Especial. Para alguns as acusações procedem, e sempre existiu favorecimento em um jogo onde as cartas são marcadas. Para outros é um choro de perdedor, de quem esqueceu que sua escola também foi acusada de ter sido beneficiada em muitas ocasiões.


Alguns blocos fazem sua despedida em vários locais, e os promoters que inventaram a "Musa do Carnaval" a funkeira Anita criaram um bloco no centro da cidade, que quase não saiu por problemas burocráticos. Foi um acontecimento bizarro, mas que fez jus à "musa" criada pela indústria cultural No meio dessa geleia geral o verdadeiro folião que só pensa em se divertir tem de tomar cuidado com os "lutadores" que confundem as ruas com ringues de luta livre, tomar cuidado com os bêbados inconvenientes e principalmente com os que aproveitam a alegria para roubar, tendo até a ousadia de levar na "mão leve" a pesada arma de um agente da lei. É o fim da picada e da bizarrice.  Mas vamos deixar as amarguras de lado, vamos esquecer Dilma, esquecer Pezão, esquecer Eduardo Cunha, esquecer o candidato a prefeito, cujo trunfo é ser espancador e aproveitar para apreciar, mesmo do lado de fora da passarela do samba, os carros alegóricos, fruto do delírio dos carnavalescos, as belas musas do samba, com pouca ou quase nenhuma roupa, e beber algo para espantar a inhaca que vem rondando nosso país, espalhando nuvens cinzentas, mas que depois da folia podem se tornar muito densas e muito escuras.