4.2.16

EDUARDO CUNHA E SEUS 40 LADRÕES

MIRSON MURAD -


Eduardo Telerj Dinheiro na Suiça Agora + 5 Contas Lavajato e seus quadrilheiros aprontaram mais uma conseguindo retornar suas condenações a estaca zero.

O mais falta para que o STF acate a solicitação do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot e casse esse bandido?

Aliás, alem de cassa-lo pegar o crápula ali mesmo na porta do Congresso e encarcera-lo?

Chega de tantos crimes. Basta de abusos desenfreados e empáfia de quem se sente imbatível. Inclusive levantar a ficha de sua quadrilha. Vai aparecer muita sujeira. Ora, se vai...

JOÃOSINHO TRINTA (Publicado em 19/12/2011)

João Trinta foi um gênio que encheu de dinheiro a Liga das Escolas (leia-se, os banqueiros do jogo do bicho), de quem vive de turismo, inclusive os governos da cidade e do estado do Rio de Janeiro. Encheu os olhos dos turistas mas não de quem - realmente - ama o carnaval.

João Trinta não foi gênio para o nosso carnaval. O carnavalesco tirou o espaço maior da Ala das Baianas (onde as senhoras idosas que passsaram toda a juventude em prol de sua escola e, agora na velhice, quando eram reverenciadas, assim como os senhores idosos da Velha Guarda, foram defenestrados). De destaque, passaram a simples coadjuvantes. A pureza das escolas foi substituida por um teatro, por desfile de nudez, por desrespeito à fé cristã, especialidade desse João Trinta que faleceu.

Que Deus se apiede de sua alma!

E, por falar em banqueiros do bicho, concordo, plenamente, com o jornalista Miro Lopes, que postou em seu blogue, por causa da ação policial recente, determinada pela Justiça: "Se os banqueiros do jogo do bicho são contraventores, por que é que durante décadas e décadas, os governantes do Rio, nossas autoridades, durante o Carnaval, ficavam de braços dados com eles?".

Como perguntar não ofende, nossos governantes devem uma explicação ao povo. Se os patronos das Escolas de Samba são contraventores, esse "lado-à-lado" é porque antes não eram? E, no próximo carnaval, qual será a atitude dessas autoridades? Onde se postarão? Quem viver, verá...