16.2.16

LAERTE TROCA MANSÃO DA GLOBO POR 'TRIPLEX DE LULA'. SENADOR PEDE MOBILIZAÇÃO CONTRA PAUTA NEOLIBERAL

ILUSKA LOPES -


Charge publicada pela cartunista Laerte nesta terça-feira introduziu na Folha um tema considerado tabu pela imprensa familiar: a mansão que pertence aos irmãos Marinho, donos da Globo, e foi retratada em reportagem que viralizou nas redes sociais.

Laerte decidiu propor uma permuta: a troca da casa à beira-mar, construída numa área de proteção ambiental e ligada a offshores do Panamá, pelo triplex no Guarujá (SP), que não pertence a Luiz Inácio Lula da Silva, mas tem sido usado pela Globo como peça de sua campanha contra o ex-presidente.

A charge de Laerte foi, ao mesmo tempo, um protesto e um ato de rebeldia editorial.

SENADOR PEDE MOBILIZAÇÃO CONTRA PAUTA REGRESSIVA 

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) postou vídeo em sua página no Facebook no início da tarde de ontem (15) demonstrando preocupação com a pauta da Casa, que será retomada amanhã. "Não é uma pauta qualquer, na verdade, é um conjunto de propostas articuladas que significam um grande retrocesso. A volta das políticas neoliberais que fracassaram nos anos 90 no Brasil e na América Latina. Ataque a direito dos trabalhadores, ataque a direitos constitucionais, ataques a tudo que é público e a volta do discurso das privatizações."

O petista disse ter gravado o vídeo porque acha que o movimento sindical, os movimentos sociais, o movimento estudantil precisam se mobilizar. "Nossa resistência no Senado vai depender muito da mobilização da sociedade para impedir que esta pauta regressiva contra direitos dos trabalhadores e de ataque à soberania nacional seja aprovada no Congresso.

Lindbergh lembrou do primeiro projeto da pauta, o PLS 555, o Projeto de Lei das Responsabilidades das Estatais, de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB), que "acaba com empresas públicas". Ele defende que o Senado derrote o PLS. "Transforma todas as empresas públicas em sociedades anônimas, que têm o lucro e as regras do mercado como prioridade. Só que a Caixa Econômica Federal têm um conjunto de atividades que são políticas públicas. Ela não ganha quando faz o Bolsa Família, quando faz o Minha Casa, Minha Vida. O BNDES, por exemplo, empresta com juros abaixo do mercado, porque sua finalidade principal é o desenvolvimento econômico nacional, ele tem que fazer desenvolvimento regional. Qual a finalidade de transformar uma empresa importante como a Embrapa em sociedade anônima?"

O senador menciona também projeto do senador José Serra (PSDB-SP), que coloca limites para a dívida líquida e para a dívida bruta. "Só que do jeito que ele fez, os limites são tão rígidos que para alcançar, nós teríamos que fazer superávits primários superior a 3% do PIB. E aí, meu amigo, não tem jeito. Tem que cortar programas sociais, cortar investimentos."

"O terceiro projeto é um absurdo, é o Banco Central independente. Eu pergunto: independente de quem? Só se for do povo e da democracia, porque do jeito que está o projeto, um presidente da República eleito não vai poder nomear o presidente do Banco Central", acrescenta o parlamentar.

"O quarto ponto de pauta é a discussão do pré-sal. Você sabe que quem descobriu o pré-sal foi a Petrobras. Foram os brasileiros que descobriram o pré-sal. E hoje, a Petrobras é operadora única do consórcio e tem 30% de todas as reservas do pré-sal. Pois bem, eles querem tirar isso da Petrobras."

Lindbergh destacou também o projeto da terceirização, aprovado na Câmara e agora em discussão no Senado. "Eles querem colocar na pauta do Senado e, eu digo, este projeto só tem uma finalidade, que é reduzir salários de trabalhadores para aumentar os lucros dos empresários."

*Informações do Brasil247, DCM e RBA.