5.2.16

O CONTRIBUINTE ESTÁ PAGANDO UM TRIPLEX DE LUXO PARA CADA JUIZ, PROCURADOR E TODOS OS AFINS

EMANUEL CANCELLA -

São R$ 4.377,73, por mês, até morrer, fora o retroativo a 1988!


Segundo Fernando Brito, da Gazeta de Joinville, 2 de fevereiro de 2016:

Coisa “pouca”, só R$ 13,9 milhões de um total de mais R$ 1 bilhão “devido” a suas excelências em atrasados, segundo valores divulgados pelo jornal O Estado de Minas: R$ 946.483.179,57, em valores de fevereiro do ano passado, calculados a partir de 1994. Não inclui os senhores juízes, que no dia 5 de janeiro tiveram a liberação de um naco de R$ 180 milhões, correspondente a uma parcela de R$ 125 mil para cada um dos 1,4 mil juízes e desembargadores mineiros.
E, como o “auxílio” é nacional, valendo a partir das mesmas datas e com os mesmos valores, pode-se extrapolar seus custos totais.
Mais de 20 bilhões de reais.
Agora some os ministros, juízes, desembargadores, e promotores federais, além de outros que vão “de carona”, como os membros dos Tribunais de Contas e quejandos.
Tem aí uns R$ 30 bilhões de atrasados, afora o pinga-pinga mensal, sem imposto e livre para gastar, mesmo morando no local de trabalho e possuindo imóvel próprio?
É um valor que deixa no chinelo as estimativas de perdas com a corrupção surgida na Lava Jato, estimada em R$ 6,2 bi pela auditoria da Petrobras e em R$ 19 bi pela Polícia Federal.

A sociedade, que é manipulada pela mídia principalmente pela Globo, acerca do triplex que Lula não comprou, vai pagar o equivalente a um triplex, só que  de luxo, e para cada membro do judiciário.

Enquanto o brasileiro pobre se inscreve no “Minha Casa Minha Vida” para morar com dignidade, pagando com sacrifício, a sociedade vai bancar auxílio- moradia de luxo aos ‘homens da lei” .

E o MPF está passando um abaixo-assinado com dez medidas pelo combate à corrupção, caso seja sério terá que acrescentar o 11º para barrar o “Trem da Moradia”.

É preciso um levante da sociedade para coibir essa excrescência, pois, aqueles do meio que se rebelarem contra essa mamata serão punidos como o juiz  Siro Darlan, que  foi exonerado do cargo por questionar o auxílio educação.

Conjur, 03/06/2015...” Na carta, Darlan chamou o benefício de exclusivista e disse que a “população não tem nenhuma obrigação de custear a educação dos filhos dos magistrados e dos servidores do Tribunal de Justiça”...Pelo texto, servidores e juízes com até três filhos, em idade entre 8 e 24 anos, receberão R$ 2.860,41 por mês para pagar as despesas escolares.”

 

Também creio que não adianta pedir apoio a juízes que não têm compromisso com a moral e bons costumes, como o ministro Gilmar Mendes que concedeu dois habeas corpus, em 24 horas, ao banqueiro, Daniel Dantas e mandou soltar o médico estuprador, Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão, que em seguida fugiu para o Paraguai. Aliás, é bom lembrar que o delegado que prendeu Dantas, Protógenes Queiroz, foi condenado pela justiça e expulso da Polícia Federal.

 

De nada vale, também creio, pedir ajuda ao ministro Dias Tofolli, que foi citado nas gravações do filho de Nestor Ceveró, como aliado, junto de Gilmar Mendes, na possível operação que iria liberá-lo da prisão. Talvez dando habeas corpus e possibilitando sua fuga, como o médico estuprador, para o Paraguai.

 

Pesa contra o ministro Dias Tofolli também o fato de suspender, no STF, dispositivo da lei do Direito de Resposta que garantiria a acusados injustamente na mídia o direito de se defenderem, com urgência, no mesmo espaço e tamanho da acusação leviana. Quando em vigor, o dispositivo da lei fez dois gigantes da mídia, Globo e a Folha, recuarem e se desculparem  publicamente. Sem a lei, é um verdadeiro vale-tudo na mídia.

 

Também não creio que valha a pena pedir ajuda ao juiz Sérgio Moro, que convive na operação que chefia, a Lava Jato, com grampos ilegais, vazamentos seletivos, prisões arbitrárias e blindagem ao PSDB. Mesmo que o auge da corrupção na Petrobrás tenha sido no governo de FHC, não bastando nem as delações e nem a confissão do próprio FHC que reconhece em seu livro, Diários da Presidência, que havia corrupção na empresa. Moro diz que tem que limitar a ação dos advogados, e esse mesmo juiz também acha normal que sua esposa, advogada, trabalhe para o PSDB do Paraná e para empresas petroleiras concorrentes diretas da Petrobrás, sendo justamente as petroleiras e o PSDB os altamente beneficiados com essa operação midiática.


*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).