3.2.16

REUNIÃO PARA DEVANEIOS, ELUCUBRAÇÕES E PURA TEMERIDADE. CONSELHÃO SEM LULA-LÁ, É O RETRATO DE UM GOVERNO EDEMICO

ROBERTO MONTEIRO PINHO -


O novo Conselhão foi formado ao sabor dos interesses do PT e da presidente Dilma Roussef, é uma espécie de Parlamento tupiniquim, que não vai levar a lugar nenhum. De acordo com a lista divulgada no Diário da União, é composta por empresários, atores, menores infratores, micro-empreendedores e mendigos.

Um detalhe que chamou a atenção da imprensa é que mais da metade dos membros nomeados tem passagem pela polícia. Como se não bastasse o ministro chefe da Casa Civil, Jacques Wagner, fez questão de alardear que “a marca maior do Conselhão é a diversidade. Tem homem, mulher, de menor, gayzão, donzelão, enfim, todos os seguimentos que representam bem a sociedade brasileira”.

Duas pesquisas para saber a opinião da sociedade sobre a proposta da volta do Conselhão, estão a caminho. Numa avaliação preliminar, (já vazou para este colunista) a ideia não obteve a aprovação dos entrevistados, que não confiam no seu resultado e desconfiam do plano de Dilma e do PT.

É a falta de credibilidade criando nuances das mais diversas. Enfim tudo que Dilma e o PT boquinha propor, não têm e não terá a aprovação da sociedade. O povo quer resultado, e isso não existe no governo da comandanta.

Houve na sua primeira reunião, a prestação de contas. Os Ministros da Fazenda Nelson Barbosa, do Desenvolvimento Indústria e Comércio, Armando Monteiro, da Agricultura, Katia Abreu, do Planejamento, Valdir Simão, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini deram explicações.

Na verdade, todo cenário, era para tirar a proposta básica do encontro: a de conseguir apoio para a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e para a DRU (Desvinculação das Receitas da União).

Há muito tempo venho observando que o discurso político, já não mais, esconde seus pudores. Os boquinhas (cargos de nomeações) do PT, são velhos e conhecidos “puxa-sacos”, que infestam a máquina administrativa do Brasil. Um exército de despreparados, que sequer apresentam propostas viáveis. Tamanha é a falta de qualidade, que nem o mais analfabeto administrador, estaria inclinado aceitar.

Dilma Rousseff quer fazer do conselhaço um marco da virada. Mas deixou de lado, o principal, nesta primeira reunião. Não discutiu exaustivamente como solucionar: o desemprego estarrecedor e a alta dos juros, este último pecaminoso, método condenado por toda comunidade econômica mundial.

O Brasil é um desastre, protagonizado por pessoas que não incorporam o nacionalismo. Na cabeça do iceberg dos incompetentes está à presidente Dilma Rousseff, e como isso fosse pouco, os boquinhas, com as mãos ávidas para aplaudir, num claro e empobrecido meio de agradecer ao cargo, que lhe sacia.

Para mim (a quem me reservo o direito de expressão), e creio para muitos, Conselho, Conselhão, Mensalão, Lava Jato é tudo a mesma coisa. Por exemplo: Pergunte aos membros do tal Conselho, se falaram sobre o BNDES?

Evidente que não, ali ninguém “sabe de nada”. Se abrir a boca sobre o assunto, será convidado a sair do grupo. É o PT boquinha que já conhecemos. A turma do “não me conteste”, quer continuar no Poder. É gente que não vence na vida privada, tanto pela incompetência, quanto a índole que convalesce. E o resto é “mero detalhe”.