12.2.16

TARIFA DE BARCAS E CATAMARÃS SOFREM AUMENTO HOJE NO RIO DE JANEIRO. EMPRESÁRIO GAY FOI OBRIGADO A SAIR DO TÁXI

ILUSKA LOPES -


Atenção trabalhadores e trabalhadoras, usuários das barcas Rio-Niterói, após o aumento das tarifas de metrô e ônibus, as barcas e catamarãs também sofrerão aumento a partir de hoje (12/02). Presentão para o povo que trabalha ou mora na região do Grande Rio, gente que precisa enfrentar diariamente a travessia de barca ou via ponte Rio-Niterói, muito sofrimento mental e físico, longas filas ou engarrafamentos, mas o prejuízo é também e principalmente financeiro.

Nas barcas, a tarifa será reajustada de R$ 5,00 para R$ 5,60. Para os usuários que utilizam o Bilhete Único, que representa 80% dos passageiros do sistema, a alteração será de R$ 3,50 para R$ 4,10. A gratuidade de uma viagem de ida e outra de volta segue mantida para os residentes da Ilha de Paquetá, devidamente cadastrados no Bilhete Único.

Nos catamarãs, tarifa da linha seletiva de Charitas será reajustada de R$ 13,90 para R$ 15,40. Nas linhas que atuam em Mangaratiba, Ilha Grande e Angra dos Reis, a tarifa aumenta de R$ 14,00 para R$ 15,00.

Paradoxalmente, o município de Maricá, também no Estado do Rio de Janeiro, é a primeira cidade brasileira com mais de 100 mil habitantes a oferecer transporte (ônibus) gratuito. Desde o ano passado, o prefeito Washington Quaquá (PT) vem lutando contra as grandes empresas que fazem o transporte coletivo no município. Há 40 anos as empresas Aviação Nossa Senhora do Amparo e Costa Leste monopolizavam o transporte público na região.

Agora sabemos comprovadamente que a sonhada 'Tarifa Zero' é possível, não nas poucas barcas e catamarãs que utilizam a Baía de Guanabara, mas sim nas ruas, avenidas e estradas por onde circulam os ônibus vermelhinhos de Maricá.

EMPRESÁRIO GAY FOI OBRIGADO A SAIR DO TÁXI

Segundo a jornalista Fernanda Pontes (O Globo), um empresário de 36 anos vai denunciar um motorista do 99taxis no programa “Rio sem homofobia”. Ele e o namorado foram expulsos do carro em plena madrugada, na Avenida Almirante Barroso, no Centro.

Tudo porque o namorado dele... cochilou encostado em seu ombro. “Eu acho melhor vocês saírem, não quero perversão no meu carro”, disse o motorista. A dupla tinha acabado de sair do bloco “Bunytos de corpo”, na Praça Tiradentes, por volta das 2h de terça-feira.

O empresário ainda teve sangue frio suficiente para tentar argumentar. Explicou que o namorado estava apenas dormindo, mas não adiantou. Os dois tiveram que sair do carro mesmo.

— “Incrível como este tipo de coisa ainda aconteça”, disse ele, que não quis se identificar.