30.3.16

JORNALISTAS CONTRA O GOLPE: ANDRÉ MOREAU e ALÍPIO FREIRE

Por ANDRÉ MOREAU LOUZEIRO -

A ABI de Joelhos? Não, é preferível morrer de pé!


Sob a égide dos senhores da mídia, a judicialização vem sendo promovida a peso de ouro na América Latina ameaçando a soberania de governos legitimamente eleitos, voltados para o social.

O Brasil é atingido a partir de 2013 quando Dick Shane vem ao país pedir a Presidenta Dilma Rousseff para abrir o mercado do petróleo retirando o contrato de partilha, para sua exploração.

Entre as informações que desinformam passadas pela mesma imprensa que cinqüenta anos após o golpe empresarial/militar de 1º de abril 1964, veio a público dizer que se arrependia de ter ajudado a implantar uma ditadura cruel e sangrenta em nosso país.

A crise intencional gerada para desmontar todos os ganhos sociais do nosso pais vem gerando a demissão de centenas de trabalhadores, independente se braçais, graduados e jornalistas formadores de opinião.

A repercussão da farsa foi decantada e repetida até virar verdade. A verdade oriunda da mentira é o principal elemento para que se instale no país a convulsão social. A trama atingiu Honduras e Paraguai e avança em direção a Bolívia, Equador, Venezuela e Cuba.

A ação contra a Presidenta Dilma Rousseff contém requintes de tortura psicológica, como, poderíamos comparar a um feminicídio, tratado no Brasil de forma banal. O quadro me remete ao golpe que vivenciamos na ABI que levou a morte do jornalista, então presidente Maurício Azêdo.

*André Moreau, é Jornalista e Cineasta.

***

NADA NOS SURPREENDE
Por Alípio Freire

Na idade em que estamos nada nos deixa pasmo. Já vimos todo tipo de manifestações de coragem e dignidade, como vimos todo tipo de aberração e de indignidade - entre as quais a do atual presidente da nossa ABI, senhor Domingos Meirelles.

O seu gesto frente aos companheiros jornalistas que foram levar o nosso abaixo-assinado contra a quebra da legalidade, automaticamente o coloca e à nossa entidade ao lado dos golpistas que agridem diariamente a nossa Constituição, a legalidade do atual Estado Democrático de Direito - enfim, a Democracia conforme definida na Carta de 1988. Não. O senhor Meirelles não fala por nós. O senhor Meirelles não nos representa - e é preciso que isto se concretize com uma mudança radical da atual Diretoria da entidade.

Não bastassem nossos patrões e a qualidade da informação que veiculam - no mesmo velho e odioso estilo que levou ao golpe de 1964 e, em seguida sustentou o regime que a partir de então se instalou, temos mais uma vez uma das nossas entidades a fazer coro à ilegalidade que vem tentando se impor ao nosso País.

Mais uma vez resistiremos - aliás, mais uma vez resistimos às artimanhas daqueles que, também mais uma vez, querem nos subjugar, e mais uma vez atrelar o destino do nosso povo (e dos povos do Cone Sul) à geopolítica do grande capital internacional, liderado pelos Estados Unidos da América.

PELA DEFESA INTRANSIGENTE DA CONSTITUIÇÃO. PELA GARANTIA DA LEGALIDADE. PELO ESTADO  DEMOCRÁTICO DE DIREITO.

*Alípio Freire - jornalista, escritor, cineasta, artista plástico - primeiro jornalista eleito pelo voto direto para a Presidência da Seccional da ABI em São Paulo, gestão 1977-1979.