26.3.16

MINISTRO DO STF, TEORI ZAVASCKI, COLOCA SÉRGIO MORO NA SÉRIE “B” DA POLÍTICA

EMANUEL CANCELLA -


O chefe da Lava Jato já foi premiado pela Globo, governo dos EUA e agora a revista Fortune americana. A revista Fortune não colocou Moro em primeiro lugar porque ia chamar muito atenção. Por isso Moro que é juiz de primeira instancia e o mais premiado nos EUA! Mas no Brasil o juiz Sergio foi para a segundona, pois, segundo decisão do ministro Teori, tudo que é relacionado a ex-presidente e presidente só o STF pode decidir, aliás é isso que diz a Constituição Federal, com foro privilegiado, inclusive para parlamentares! O time do meu saudoso pai e do Lula, o Vasco, é líder no estadual, atualmente o melhor do Rio, e está na segundona.

Esses prêmios são pelos serviços prestados, já que o juiz Sérgio Moro é um aliado, de primeira, dos americanos, pois foi ele quem chamou os procuradores americanos para fazerem espionagem contra a Petrobrás. O mesmo Moro nem tentou mandar os procuradores brasileiros para investigar a Chevron, a petroleira americana que foi denunciada pelo Wikeleaks, na troca de correspondência entre o então candidato em 2009 a presidência, José Serra. Serra, nas correspondências, prometia favores a Chevron, em prejuízo da Petrobrás.

Foi Moro também que prendeu o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, pai da indústria nuclear brasileira, e principal artífice do submarino atômico. A principal missão do submarino atômico é proteger o pré-sal. Moro também prendeu o dono da Odebrechet que constrói os mísseis de curto e longo alcance.

Os EUA não reconhecem nossas águas internacionais onde se localiza a maior parte do pré-sal. O submarino atômico e os mísseis são armamentos para a política de persuasão, para que ninguém ouse invadir nossas fronteiras, sabotar nossas instalações e nem se apoderar de nossas riquezas naturais, principalmente o petróleo, tão cobiçado e fruto das principais guerras contemporâneas.

E ainda, seu mais badalado colaborador, o agente Newton Ishii, o Japonês, foi condenado. Mesmo Moro na segundona, o atual ministro da justiça, Eugenio José Guilherme de Aragão, já mandou recado: que não aceita vazamento de delação e que grampo ilegal sujeita o infrator à prisão.

O juiz Sérgio Moro, que já tinha derrapado feio no grampo de Lula e Dilma; agora ele, chefe da operação Lava Jato, que muitos chamam de Vaza Rápido, não vazou, mas mandou tratar como sigilosa a denúncia da Odebrechet que cita mais de 200 parlamentares, a maioria da oposição, que lista entre outros aqueles que a sociedade aponta como os blindados pelo Lava a Jato, Aécio Neves e José Serra.

Moro vai saboreando seu acarajé, curte a Xepa, mas se liga Moro, porque no Brasil sua batata tá assando!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).