12.5.16

DEFESA CIVIL DE MARICÁ JÁ REALIZOU MAIS DE 1.400 VISTORIAS APÓS AS CHUVAS DE FEVEREIRO

REDAÇÃO -


A Coordenadoria de Defesa Civil da Prefeitura de Maricá já realizou 1.400 vistorias em imóveis após as enchentes que atingiram o município em 29 de fevereiro. Um trabalho que vem mobilizando continuamente o órgão, que chegou a receber até 80 pedidos diários. Esse levantamento é o pré-requisito para habilitação ao saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) junto a Caixa Econômica Federal. Já foram enviados ao banco 905 cadastros entre ruas e imóveis considerados aptos a permitir o saque do fundo, beneficiando mais de 1.260 moradores. Outros, no entanto, estão encontrando dificuldades por conta dos diferentes nomes de ruas. Qualquer divergência no endereço apresentado do que consta nos comprovantes de residência implica em recusa pelo banco em realizar o pagamento. Com isso, a Defesa Civil municipal acabou tendo de realizar um recadastramento.

“A imposição da CEF em exigir que os endereços apresentados sejam rigorosamente iguais ao do sistema do banco e aos mesmos escritos nos comprovantes de residência emitidos por concessionárias de serviços públicos trouxe um retrabalho enorme para a nossa equipe. Não pode haver nenhuma informação diferente como abreviação de nome de rua, erro de digitação, nomes repetidos, enfim, mesmo que o endereço seja comprovadamente o mesmo", descreve o coronel Edson Amaral, coordenador da Defesa Civil de Maricá. "Por isso, as pessoas estão enfrentando dificuldades, mas a Defesa Civil está procurando atender a todos os cidadãos com o máximo de rapidez e eficiência”, acrescenta.

Os cadastros são realizados diretamente no programa disponibilizado pela Caixa Econômica Federal e as informações enviadas e atualizadas diariamente. Além de refazer os cadastros, a Defesa Civil também emite uma Declaração de Residência para aqueles moradores que perderam seus comprovantes nas enchentes. Com essa declaração é possível dar entrada na documentação para o saque do FGTS. A triagem é feita na Casa Digital, que fica na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro, por um agente da Defesa Civil durante o atendimento da Caixa.

“Nossa equipe tem se desdobrado para melhor atender os cidadãos e agilizar o acesso ao FGTS. Desde o dia 31 de março, a Defesa Civil envia e atualiza os dados na Caixa Econômica. Enfrentamos três grandes chuvas esse ano que mobilizou todo nosso pessoal para prestar todo o auxílio aos atingidos”, acrescenta Amaral. As pessoas que tiverem o pedido de saque do FGTS negado pela Caixa devem procurar a Defesa Civil na Rodovia Amaral Peixoto, km 29 – Itapeba, ao lado do Corpo de Bombeiros ou se informar pelos telefones (21) 2637-5635 e 2637-1999.

Outras 80 vistorias também foram realizadas pelos agentes que constataram que os imóveis não foram afetados pelas enchentes. O reconhecimento da situação de emergência em Maricá pelo Ministério da Integração Nacional ocorreu em 28 de março. Este ato é o que permite a liberação do FGTS para moradores atingidos pelas chuvas. A Defesa Civil é a responsável pelo processo de decretação de situação de emergência, homologação no Governo do Estado e reconhecimento pelo Governo Federal.

Cursos para situações emergenciais

A Defesa Civil de Maricá conta atualmente com um quadro de 60 funcionários, sendo 30 agentes e 30 guarda-vidas. Com objetivo de preparar a população para enfrentar situações de emergências e identificar locais de risco, o órgão iniciou uma série de cursos de capacitação nas comunidades com a criação dos NUDECs – Núcleos de Defesa Civil que capacitam os moradores para realizar primeiros atendimentos em situações emergenciais. Além disso, os agentes também realizam cursos de reciclagem em parcerias com os órgãos do município do Rio e do Estado. Através de informações de moradores, um engenheiro realiza vistorias em imóveis em situação de risco na cidade.

O órgão possui 15 pluviômetros que são utilizados para recolher e medir, em milímetros, a quantidade de chuvas durante um determinado tempo e local. Os aparelhos estão espalhados nos seguintes bairros: Bambuí, Santa Paula, Bananal, Centro, Ubatiba, Amizade, Itapeba (02), Itaipuaçu (02), Inoã, Spar, Ponta Negra, Guaratiba e Espraiado. Além disso, atua também nas praias, onde 30 guarda-vidas estão espalhados em 10 pontos de observação e salvamento. Os agentes trabalham nas praias com intuito de evitar afogamentos e preservar a vida dos banhistas que se envolvem em situação crítica no mar. Eles estão sempre preparados para pronto atendimento aos banhistas ou para avisar dos riscos.

*Com informações da Coordenação de Comunicação da Prefeitura de Maricá.