30.5.16

SECRETARIA DA MULHER DA FENEPOSEPETRO DIVULGA NOTA DE REPÚDIO AO ESTUPRO COLETIVO

Via FENEPOSPETRO -

A Secretaria da Mulher da Federação Nacional dos Frentistas-Fenepospetro, por meio da sua presidente Telma Cardia, divulgou nota na qual repudia o estupro coletivo sofrido por uma adolescente de 16 anos no último final de semana, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Telma Cardia durante evento da categoria que no mês de maio debateu em Brasília/DF  o tema: Assédio Moral e Violência de Gênero" .
“Não podemos permitir que atos como este sejam comemorados em rede mundial da era moderna” diz em nota a entidade cuja participação feminina é de cerca de 30% da categoria, o que equivale a cerca de 150 mil mulheres.

Não é de hoje que o “Poder Paralelo” instalado no Estado do Rio de Janeiro, afronta o Estado Democrático de direito garantido pelas regras internacionais da qual o Brasil é signatário, bem como, pela Constituição Federal promulgada em 1.988. diz a nota.

Quatro envolvidos no caso tiveram suas prisões decretadas pelas Justiça. Entre eles está Lucas Perdomo Duarte Santos, de 19 anos. Ele era colega de escola da garota, no Colégio Barão, na Praça Seca, em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade. Em depoimento à polícia, a jovem relatou que na noite do último sábado, dia 21, foi para a casa do rapaz, mas acordou em outra residência, no mesmo Morro da Barão, já cercada por 33 homens armados com fuzis e pistolas, nua e machucada.

Diante do ocorrido, a Fenepospetro Mulher afirma solidariedade a jovem, e exige exige das autoridades competentes a devida investigação do caso d e a responsabilização de todos os envolvidos: “Não deixaremos passar em branco este acontecimento, queremos a punição destes seres, por toda eternidade”, diz em nota a entidade.

NOTA DE REPÚDIO AO ESTUPRO COLETIVO

Recentemente uma jovem de dezesseis anos foi atacada enquanto dormia inocentemente por conta das substâncias que lhe deram às escondidas, tudo premeditado.

O ataque coletivo não adveio de seres humanos, mas, sim, de seres desclassificados, dissociados das regras elementares básicas imposta naturalmente em nossa sociedade.

Não podemos permitir que atos como este sejam comemorados em rede mundial da era moderna.

O maior troféu exibicionista deste horrendo crime, traz a seguinte pecha veiculada nas redes virtuais sociais:

ESTADO DO RIO DE JANEIRO INAUGURA NOVO TÚNEL PARA A PASSAGEM DO TREM BALA DO MARRETA

Este foi o comentário postado na comunidade virtual “FACEBOOK”, que, horas depois, tomou notório conhecimento de toda nação, ganhando espaço pelo mundo todo.

Estes seres dos quais me refiro, após consumarem o estupro de uma pessoa que estava inconsciente (estupro de vulnerável previsto pelo artigo 217-A, § 1º, parte final, do Código Penal), apelidaram a vagina dela de “TÚNEL PARA PASSAGEM DO TREM BALA DO MARRETA”.

Não é de hoje que o “Poder Paralelo” instalado no Estado do Rio de Janeiro, afronta o Estado Democrático de direito garantido pelas regras internacionais da qual o Brasil é signatário, bem como, pela Constituição Federal promulgada em 1.988.

Estupraram a todas nós mulheres, rasgaram o véu da dignidade e respeito, feriram nosso orgulho do poder da procriação.

Damos a vida para sermos vítimas dos golpes da vida!!! Esta é a verdade.

Não é possível que estes seres que cometeram esta barbárie, tenham, no passado, sido gerados, nutridos e amados por uma mulher!

O que levou estes seres a praticar este delito, vem alimentado pela cultura machista e preconceituosa contra a vítima deste crime, que além de ser violentada por mais de trinta machões, foi duramente criticada pelas vestes e pelo simples fato de ser “MULHER”, aliada a falta da mais pura educação e amor com o ser humano.

Repudiamos o ataque a esta Jovem, nos solidarizamos com a sua dor, não deixaremos passar em branco este acontecimento, queremos a punição destes seres, por toda eternidade.

Ainda que estes seres venham a cumprir as penas previstas em Lei, nada apagará, na história da humanidade, o ato de barbárie, o Brasil precisa dar um basta a esta cultura machista e preconceituosa contra a mulher que, cada vez mais, se vê desrespeitada por esta hipócrita sociedade.

Mulheres, valorizem-se, vamos nos unir e dizer NÃO AOS ATAQUES DA NOSSA HONRA, GERAMOS VIDAS, POR CERTO, TEMOS DIREITO AO RESPEITO E TRATAMENTO DIGNO POR PARTE DO ESTADO!!!

VAMOS A LUTA!!!

EXIGIMOS JUSTIÇA HOJE E SEMPRE!!!