30.5.16

TONINHO DO DIAP, CRITICA O PACOTÃO DE MICHEL TEMER

Via Agência Sindical -

Com a tática de informar o que fará, medir reações e só depois fazer o anunciado, o interino Michel Temer discursou na ultima terça (24) sobre o pacote de medidas a serem adotadas pela equipe econômica. As medidas, marcadamente neoliberais, visam aprofundar o primado do mercado.

Agência Sindical entrevistou Antonio Augusto de Queiroz (Toninho), diretor do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), a respeito de iniciativas relacionadas a trabalhadores da ativa e aposentados. Sua avaliação é crítica.

“Todas elas mexem na Constituição e precisam ser encaminhadas via Proposta de Emenda Constitucional. Existem nas medidas, claramente, três grandes retrocessos.”, observa Toninho.

O diretor do Diap relaciona os três retrocessos: 1º) Desvincular benefícios previdenciários do salário mínimo, com arrocho na renda; 2º) Desvincular da receita orçamentária despesas com saúde e educação, livrando entes estatais dessa responsabilidade; e 3º) Fazer a reforma da Previdência, mexendo com os atuais segurados. “São três pauladas na Constituição”, ele ressalta.

Toninho salienta que alterações no salário mínimo, com redução de ganho para trabalhadores da ativa ou aposentados, é duplamente grave, “por ser ataque a um direito e direito que tem o caráter de verba alimentícia”.

Força - A Força Sindical publica em seu site Nota de apoio ao amplo conjunto de medidas governistas, ressalvando a necessidade de negociações nas questões previdenciárias. Clique aqui e leia.