18.6.16

A CRISE NO BRASIL NÃO É DE TODO MAL

EMANUEL CANCELLA -

Ninguém sabe onde vamos parar com essa crise! Entretanto muita coisa mudou, como aqueles informes diários do dólar, da inflação, do PIB, do desemprego, das falências das empresas, da crise dos hospitais, praticamente sumiram do noticiário!

Ontem, falando para um jornalista da Noruega, que disse que seu país, que é uma referência no mundo em IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), graças ao petróleo, também está com problemas, por conta do preço baixo do barril de petróleo. Porém lá ninguém cogita de abrir mão do seu ouro negro!

No Brasil, o atual presidente da Petrobrás chega ao cúmulo do absurdo de tratar o pré-sal como um incômodo, incentivando a proposta entreguista do senador José Serra, ambos do mesmo partido, o PSDB. Essa “proposta” de entregar nossa maior riqueza é mascara, para enganar o povo, de “flexibilização do pré-sal” e ”venda de ativos, como as termoelétricas, frota de navios, fábrica de fertilizantes, entre outras”. É como se você tivesse um fabuloso tesouro, em seu quintal, e desse para o vizinho! Aliás, José Serra, desde 2009, já fazia acordos, por debaixo dos panos, denunciado pelo Wikleaks, à americana Chevron prometendo que, caso fosse eleito presidente, favoreceria a empresa americana em detrimento da Petrobrás.  Agora está com a faca e o queijo na mão!

Em entrevista à Globo News, em 16/6, Pedro Parente deixou isso claro! E com isso, ao invés de resolver o problema da crise, com essa atitude vai aprofundá-la. Isso se Pedro Parente estivesse bem intencionado, querendo resolver qualquer crise! Quem leu o livro de Amaury Ribeiro Junior, “A privataria Tucana” sabe que tudo isso não passa de um entreguismo exacerbado, uma maracutaia para receber alguns trocados.(bilhões de trocados)

Para viabilizar essa roubalheira à nação brasileira tiveram que derrubar a presidente Dilma! Isso porque os governos do PT foram responsáveis pela retomada da indústria naval, a descoberta do pré-sal, pela transformação da Petrobrás de empresa de petróleo em empresa de energia e da lei de Partilha. Porém, no governo Dilma, houve o leilão do campo de Libra, um dos maiores do mundo. Dizem que esse leilão foi para atrair outras potências mundiais para inibir qualquer tentativa de apropriação criminosa de nosso pré-sal. Verdade ou não, o fato é que a China está presente com 20% do campo de Libra!

E também é verdade que a presidente Dilma passou direto para a Petrobrás, sem licitação, área de maior potencial de petróleo que o campo de Libra, como previsto na lei de Partilha. Por outro lado, Aldemir Bendine, presidente da Petrobrás, indicado por Dilma, cogitava da venda de vários ativos da Petrobrás.

O lado bom é que a população está se conscientizando dos problemas do Brasil, pois há atos contra o golpe, praticamente diários, e em todo Brasil! E nessas manifestações, a defesa do pré-sal está sendo debatida junto com a venda de ativos. Aliás, os petroleiros estão se preparando para responder à altura a essa política de entrega de nosso petróleo, como fizemos em 94/95 com uma greve de 32 dias que barrou essa política do mesmo partido, o PSDB. Na ocasião, também fizeram campanha para desmoralizar a Petrobrás, mas os petroleiros impediram sua entrega! Fizeram o mesmo com a Vale do Rio Doce, que foi “vendida” a preço irrisório.

Alem do petróleo, outros temas que passavam ao largo da sociedade agora estão na boca do povo! Talvez a apatia do povo é que permitiu um Congresso Nacional tão perverso! Agora estudantes da USP ocupam prédio da universidade para cobrar,  entre outros pontos, a política de cotas! E militantes do MTST ocupam a sede do governo federal  em São Paulo para reivindicar continuidade do programa Minha Casa Minha Vida! Funcionários e setores da sociedade organizada ocuparam o ministério da Cultura e sedes da Cultura em todo o Brasil para exigir a continuidade da política do Ministério.  Trabalhadores e usuários do SUS ocupam várias unidades de saúde para preservar as políticas de saúde.

A sociedade, a cada dia mais participativa, conscientiza-se que afastamento da presidente Dilma foi impulsionado também pelo machismo, já que os homens, principalmente que estão à frente do governo golpista, só enxergam na mulher o fato de ser  bela, recatada e do lar. Eles não aceitam a mulher no poder! E o fato do estupro da menina por 33 homes revoltou e uniu as mulheres que se organizaram em fóruns e estão participando e organizando manifestações contra o golpe! Isso se observa principalmente nas ocupações do Minc e das escolas publicas e das universidades. É outro Brasil!

A crise também trouxe outro aspecto interessante! Michel Temer, o presidente interino, para manter a presidente Dilma numa gaiola de ouro, cortou visitas, almoço e viagens aéreas. Dilma, ao que parece, não está passando fome, pois está viajando para todo o Brasil, e ao invés das visitas no palácio está indo a comício com milhares de brasileiros. E Michel Temer, com plena liberdade, vive uma solidão palaciana, marcando e cancelando compromissos em todo o Brasil, com medo dos protestos. E sua residência em São Paulo está sitiada para impedir a aproximação de manifestantes. Temer, que tentou manter Dilma numa gaiola de ouro, agora, para se redimir com a sociedade, já fala até na participação de Lula e Dilma nas atividades da olimpíadas. Outro fato interessante é que, enquanto Dilma sobe nas pesquisas,Temer despenca!

No andar da carruagem, caso caiam mais ministros do governo, o que é muito provável, Michel Temer é capaz de propor um governo de meio expediente revezando ele e Dilma!

Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).