24.6.16

NÃO SEI QUEM É O PRÓXIMO PRESO DA LAVA JATO, MAS COM CERTEZA VAI SER DO PT

EMANUEL CANCELLA -

O juiz Sérgio Moro, que chefia a operação Lava Jato, usa a mesma lógica do ex-ministro Joaquim Barbosa, que chefiou a AP 470, também conhecida como mensalão. No julgamento do mensalão do PT, houve prisão de vários petistas, mesmo sem provas, como no caso do ex-ministro do PT, José Dirceu, cujo parecer é de autoria da ministra Rosa weber, com a assistência do mesmo juiz Sérgio Moro: Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”. E o mensalão do PSDB está prescrevendo sem julgamento, mesmo tendo sido anterior ao do PT.

Da mesma maneira do agora Sérgio Moro, Joaquim Barbosa também foi capa de revistas e foco da mídia, no Brasil e no mundo, chamado até de Batman, o paladino da justiça, entretanto logo depois foi lançado ao mar quando veio a público  a sua ficha: comprou um imóvel em Miami através de uma Offshore, para burlar a Receita Federal; tem ficha na delegacia por agressão à mulher e por último não quis, dentro do prazo legal, devolver o imóvel funcional da União, só entregando o imóvel embaixo de Vara. Joaquim também foi candidatíssimo à presidência da República e hoje deve ter dificuldade para se eleger síndico de prédio.

Digo isso porque a mesma mídia que idolatrou e jogou ao ostracismo Joaquim Barbosa já fala na candidatura de Sérgio Moro à presidência. Segundo o R7 Notícias, de 10/3/2016: “Se eleição fosse hoje, o juiz Sérgio Moro teria até 67,8% dos votos para presidente, diz pesquisa”.

Mas alguém tem que dizer ao juiz Sérgio Moro que eleição se ganha no voto, não dentro de um tribunal, digo isso porque Moro, que dizem que vai prender Lula e já prendeu vários políticos do PT como Dirceu, Delcidio, Vacari e agora o ex-ministro do PT, Paulo Bernardes, e nenhum do PSDB, apesar das várias delações e provas mil contra eles.

Assim também são os delegados da lava Jato, que fizeram campanha para Aécio Neves, do PSDB, inclusive chamaram no blog de campanha Lula e Dilma de “Antas”. No andar da carruagem, Moro já estaria em campanha, tirando do circuito os petistas?

E não podemos esquecer que veio da Lava Jato a farsa, na véspera da eleição, de que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás. O próprio advogado do doleiro negou a delação. Lembrando que a divulgação na mídia dessa falsa notícia foi contrariando  o TSE que já tinha proibido a matéria, pois considerou que se tratava de material de apoio à candidatura de Aécio Neves.

A lava Jato que havia prendido somente o tesoureiro do PT e  bem depois, e só depois de muitos reclamos, prendeu o tesoureiro do PP, deixando de fora os tesoureiros dos partidos citados pela operação e envolvidos em corrupção como o PSDB, PSB, PMDB, DEM e outros.

Agora a Lava Jato, além de prender o ex-ministro Paulo Bernardes,  de forma inédita faz varredura na sede do PT! E as sedes dos outros partidos?

E não podemos esquecer que o próprio Sérgio Moro vazou para a Globo, no intuito de desgastar Dilma e o PT, que faltava dinheiro para operação lava Jato no que foi prontamente desmentido pela PF, que disse que havia dinheiro de sobra para Operação.

Mauro Santayana, em brilhante artigo de 10/05/16: “Os procuradores da Lava Jato e a destruição das construtoras nacionais”,  já mandava o recado à força tarefa da Lava Jato: “Peguem seus títulos de eleitor, filiem-se a algum partido e disputem eleições para poderem fazer leis. Sem isso, eles simplesmente devem cumpri-las. Faz parte do derretimento geral das instituições da República que funcionários públicos protegidos por imunidades defendam publicamente posições políticas como se fossem eleitos”.

Se Joaquim Barbosa foi para o vinagre, ainda existe uma blindagem à imagem de Sérgio Moro. Por exemplo, a mesma PF que persegue o filho, a nora, o amigo e o compadre de Lula blinda a mulher de Moro, envolvida com um grupo de advogados na Máfia da Indústria das falências, no Paraná, que deu rombo de bilhões nos cofres públicos envolvendo mais de cem empresas. Esse processo corre em sigilo de notícia, não vai para o Jornal Nacional nem Fantástico. Muito pelo contrário, o deputado Fabio Camargo (PTB), autor e presidente da CPI, foi ameaçado de prisão porque divulgou o fato. Na época, saiu até um livro sobre o esquema desbaratado pela CPI, no qual o título é “Poder, Dinheiro e Corrupção: Os Bastidores da CPI das Falências”, obra escrita pelo deputado Fabio Camargo (PTB). Aí o vazamento seletivo dava prisão!

Pasmem! A mesma Policia Federal que prendeu hoje, 23, o ministro do PT Paulo Bernardo e que divulgou o grampo do telefone da presidente Dilma com Lula e outros, na época omitiu o nome da esposa do juiz Moro, Rosangela Moro, veja abaixo, na matéria do Estadão da máfia da indústria das falências no Paraná.

Nessas horas, não podemos nos esquecer da frase do presidente americano, Abraham Lincoln: Você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas você não pode enganar todas as pessoas o tempo todo.


*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).