1.7.16

CAVENDISH PODE COMPLICAR EDUARDO CUNHA E SÉRGIO CABRAL; LEI DOS JOGOS DE AZAR PODE ANISTIAR BICHEIROS

ILUSKA LOPES -


Segundo informação do jornalista Andrei Meireles (aqui), a prisão do empresário Fernando Cavendish, dono da construtora Delta, pode trazer implicações para Eduardo Cunha e Sérgio Cabral, caso opte pela delação premiada.

"Quem acompanhou os bastidores da CPMI do Carlinhos Cachoeira, em 2012, sabe do empenho de Eduardo Cunha para transformar as apurações em pizza. Como Cachoeira e Cavendish mantinham esquemas suprapartidários, apesar de todo o escândalo, Cunha e outros parceiros não tiveram maiores dificuldades na empreitada. Para salvar Cavendish, Eduardo Cunha fez de um tudo: negociou apoios de parlamentares, procurou jornalistas para repassar munição sobre escândalos paralelos e tirar o foco de Cavendish, e usou esses novos casos para influenciar a comissão de inquérito. Deu certo. Ninguém foi punido", informa Meireles.

Segundo ele, o emprenho de Cunha fez ele conquistar apoios decisivos como o do então governador Sérgio Cabral e se elegeu líder do PMDB em fevereiro de 2013.

Pelo visto em breve, veremos de camarote o fim desses vermes...

Lei dos Jogos de Azar pode anistiar bicheiros

Pronta para ser votada em Comissão Especial da Câmara dos Deputados, a proposta que libera os jogos de azar no País está recheada de itens polêmicos. Num deles, é dada anistia a quem explorava ilegalmente essas atividades. É o caso dos bicheiros e de quem operava irregularmente bingos e cassinos. No relatório apresentado pelo deputado Guilherme Mussi (PP-SP), o artigo 74 diz que “ficam anistiados todos os acusados da prática de exploração ilegal de jogos de fortuna sob a vigência da legislação anterior à entrada em vigor desta Lei”.

Além disso, o projeto também prevê a extinção de “todos os processos judiciais em tramitação” que tenham a ver com a exploração ilegal dos jogos de azar.

Na Comissão Especial da Câmara, há maioria de votos para aprovar o texto. No plenário da Casa, contudo, a aprovação é mais difícil porque há resistência da bancada evangélica. Paralelamente, o Senado discute outro projeto que também libera os jogos. Renan Calheiros quer votar já na próxima quarta.

*Com informações do Brasil247 e Estadão.