26.7.16

DILMA SABE QUE NÃO VOLTA, LULA SE DISTANCIA DOS BOQUINHAS. PESQUISA VAI REVELAR QUE LULA TEM 74% DE APOIO NO NORTE E NORDESTE. “DEDURAGEM DE JEFFERSON FOI MELANCÓLICA”

ROBERTO MONTEIRO PINHO -


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem ouvido de vozes dissonantes que o seu Partido o PT, “desmoronou”. Mas pergunta-se, teria desmoronado se não fosse o desastre “Dilma Rousseff”?

Não desmoronou com o “mensalão”, e sequer avalio com a “Lava Jato”, isso porque Lula é Lula, o “partido do Lula” e não o PT agremiação eleitoral. Subsidia minha informação o fato de que se especula uma pesquisa realizada no norte e nordeste do país, tirou Lula de 23% para 74% na preferência para uma possível eleição no próximo ano.

O maior nome para a sucessão de Lula (quando indicou Dilma) era José Dirceu. Destruído por seu envolvimento no mensalão, detonado numa “deduragem” do ex-deputado federal Roberto Jefferson, ficou fora do projeto.

Esse PT dos boquinhas, que infernizou a vida de Lula e acoplou de bagagem e tudo no governo Dilma, é um dos maiores responsáveis pelo desastre de sua administração. Os excessos marcados pela bajulação desses oportunistas, fez com que Dilma acreditasse, ser uma nova liderança no PT, coisa que nem de longe seria nem num partido nanico, se é que ela sabe o que é isso.

Do desastre dos boquinhas ao tsunami dos saqueadores de Pasadena, Petro , Belo Monte e BNDES, via empreiteiros, o pior, são as delações, e pior ainda a delação branca, a que Dilma faz para salvar sua “pele”. Acredita-se, segundo fontes de Brasília, de que Dilma, não deseja nem de longe retornar a presidência da República. E isso já reflete nos poucos, que acenam pelo apoio a sua volta, notadamente nas próprias fileiras do PT. “Dilma acabou”, me confidenciou a fonte.

Ao escolher Dilma, Lula contrariou mais da metade da base do PT e traiu sua consciência. Nunca se soube exatamente porque Lula escolheu uma candidata despreparada e sem experiência parlamentar para ganhar de presente um mimoso mandato de presidente da nação brasileira. Deu no que deu.

Agora, ele já balbucia entre amigos (e tenho uma fonte segura para isso), de que Dilma não cumpriu o acordo político, começando pelas indicações que ele faria no segundo governo. Segundo a fonte ela rompeu, minutos após ter tomado posse.

Escrevo um livro intitulado a “Trama do impeachment”. Seu conteúdo é um alicerce dos acontecimentos, pautados a partir das gratificantes publicações no blog do jornalista político Helio Fernandes. Começamos um pouco antes das eleições do segundo mandato da presidente Dilma Roussef, e mergulhamos na seqüência dos fatos que marcaram seu impeachment.

Neste momento, Lula está sofrendo pressões, mas tem boa couraça e absorve as investidas de seus algozes, principalmente aquele que conspiraram contra ele no próprio PT. Para mim a turma da ala Dilma, empresários negocistas, empreiteiros audaciosos, foram além do “pote” e se lambuzaram e enfrentam a voracidade da justiça, que os pune e caça impiedosamente os tentáculos dessa mega operação que saqueia e continua saqueando o país.

Nós sindicalistas não sabemos como agem e de que forma essas pessoas negociam, mas sabemos que essas pessoas são seqüenciais na história da República. São eles os responsáveis pelos maiores rombos públicos que essa nação enfrentou e vem enfrentando.

Sabemos também quem colocou essas figuras encardidas dentro do cofre. Ao contrário de Dilma Rousseff que vive negando “que não sabe de nada de caixa 2 no seu governo”. Afinal quem andou pela Petrobrás foi ela, da mesma forma que autorizou Pasadena e Belo Monte. Por conta dessa “lambança”, Lula está num “beco sem saída”. Enquanto festeja sua popularidade, amarga a mão da justiça sobre sua cabeça.

Em matéria publicada pela revista Exame, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou há pouco à Justiça de Brasília o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, seu amigo José Carlos Bumlai, o ex-senador Delcídio Amaral, o banqueiro André Santos Esteves, o ex-assessor de Delcídio, Diogo Ferreira Rodriguez, o advogado Edson Siqueira Ribeiro Filho, e o filho de Bumlai, Maurício Barros Bumlai.

Todos são acusados de "agirem irregularmente para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato".

Os crimes apontados estão previstos nos artigos , § 1º, da Lei nº 12.850/2013, art. 357 do CP e art. 355 do Código Penal. Para quem não sabe se configurado o atípico apresentado, Lula esta inelegível. E isso não será bom para ele, e pior para o PT que já se encontra fragilizado para as eleições deste ano.