18.7.16

OS PSICOPATAS DE ALÁ DEVEM RECEBER O MAIS INCISIVO REPÚDIO DE TODOS OS REVOLUCIONÁRIOS; CPMF: REQUIESCAT IN INFERNUM

Por CELSO LUNGARETTI - Via blog do autor -


Revolucionários pegam em armas para resistir a ditaduras ou, quando já existe mobilização popular à altura deste objetivo, para tomar o poder e dar fim à exploração do homem pelo homem.

Mas, quando revolucionários pegam em armas, é para utilizá-las contra os combatentes inimigos, procurando de todas as maneiras evitar ou minimizar as baixas civis.

O cidadão comum não é e jamais deverá ser encarado como alvo aceitável. Revolucionários existem para o resgatar da escravidão assalariada e para o proteger do arbítrio e da intolerância.

É uma postura diametralmente oposta à dos fanáticos fundamentalistas, que usam as armas para intimidar populações inteiras por meio de matanças indiscriminadas.

Tais psicopatas de Alá não merecem nenhum apoio, abrigo, favor ou simpatia dos revolucionários. Nosso compromisso é o de conduzir a humanidade a um estágio superior de civilização, enquanto eles tentam fazer a História regredir às trevas medievais.

E seus atentados bestiais só servem para provocar o avanço do autoritarismo e o cerceamento dos direitos humanos nas nações ditas democráticas.

***

CPMF: REQUIESCAT IN INFERNUM


Em boa hora nosso colunista Pedro Cardoso da Costa manifestou seu repúdio à cogitada recriação da CPMF.

A festejada equipe econômica de Michel Temer – com a qual até a presidente afastada fez, cinicamente, a maior média –, estará dando um enorme passo em falso se tocar esta ideia de jerico adiante. O mais impopular de todos os tributos tem de ficar exatamente onde está: no inferno.

Sua avassaladora rejeição advém de ela ter sido um conto do vigário que o povo engoliu em 1993, acreditando mesmo que seria uma solução para o custeio da Saúde Pública. O respeitável doutor Adib Jatene emprestou ingenuamente sua imagem ilibada para mais esta pilantragem dos políticos, sempre à cata de novos pretextos para tosquiarem a população.

O cidadão comum, iludido em sua boa fé, ficou espumando de raiva quando lhe caiu a ficha de que o objetivo real da patranha jamais fora o de melhorar a Previdência Social, mas sim o de rechear os cofres do governo, servindo para tampar outros buracos do orçamento federal.

Ainda assim, o mesmo peixe podre foi vendido novamente no período 1997/2007, só que ninguém mais o comprou por livre e espontânea vontade. Foi enfiado goela dos governados adentro.

Extinta para alívio geral, esta herança maldita do FHC foi objeto do desejo dos governos petistas, que a tentaram exumar em 2008, 2011 e 2015. Por meio da amoral rede chapa branca, fizeram o possível para convencer a opinião pública de que a CPMF se tornara um tributo não só necessário, como, inclusive, progressista...

Deram com os burros n'água e acabaram recuando nas três ocasiões, por constatarem que, politicamente, seria um desastre.

O povo não é bobo. Engana-se quem supõe que aceitará de Temer o diploma de otário que atirou de volta na cara do Lula e da Dilma.