11.7.16

POETAS E POESIAS: FAXINA; VAZIO LUMINOSO; NOSSA CASA

MARCELO MARIO DE MELO -




***

VAZIO LUMINOSO

No vazio
abra as janelas à luz
e sinta
o sussurro do vento
o pulsar das artérias
os avisos latentes
os pios do presente.

Repletos
somos supérfluos
contornando entulhos.

No vazio
a luz mostra
a mancha
o fungo
a arrumação
anterior
e interior.

Abra as janelas à luz.
O vazio só faz mal
se não for iluminado

***

NOSSA CASA

De olhos fechados
é o melhor modo de olhar
dentro de si.

Quando vamos ouvir uma música
não fechamos porta e janela
para vedar sons estranhos?

Somos uma casa
com dependências diversas
exigindo sempre
olhar e vassoura.

Precisamos
de um olhar que varra bem
e de uma vassoura
com olhar atento.

Olhando e varrendo

nossa casa interior.