11.8.16

TEMER, ÁS 2 DA MADRUGADA, "SURPREENDIDO" COM A VITORIA. CARMEM LUCIA, PRESIDENTE DO SUPREMO, QUE SORTE

HELIO FERNANDES -

Um processo constitucional como o impeachment, transformado em farsa, é uma derrota para as instituições. Nem adianta rotulá-lo de formas diversas, será sempre uma derrota para a democracia. Os "vitoriosos" festejavam com champanha falsificada, se fingiam de embriagados de entusiasmo, "pelo que podemos fazer para a salvação nacional". Como proclamam, entre o ridículo e o eufórico, para eles, duas palavras rigorosamente iguais, sem necessidade de interpretação.

Às 23,10 de terça, sabendo que ainda faltavam pelo menos 3 horas para o fim, já quase na madrugada de quarta, encerrei. Comuniquei, e como o que ia acontecer era mais do que obvio, sabido e previsível, resolvi antecipar o resultado. Era facílimo. Não dava nem para errar. Estavam presentes, os 81 senadores. O presidente não vota. No caso de Renan Calheiros, felicidade para a comunidade. Surpresa que ele ainda esteja impune. E presidindo o Senado.

Leia mais na COLUNA