19.10.16

CAVIAR

MIRANDA SÁ 

“Caviar é comida de rico/ Curioso fico/ Só sei que se come/ Na mesa de poucos” (Zeca Pagodinho)


O caviar é um dos ingredientes mais esnobados, luxuosos e valorizados do mundo e, por ser muito caro, desperta mais a atenção e curiosidade das pessoas para degusta-lo. O caviar legítimo é a ova de um peixe, o esturjão, capturado no Mar Cáspio.

Foram os russos e os iranianos os primeiros povos a comercializar o caviar, iguaria que era desconhecida até nas regiões mais próximas. Ao ser descoberto e apreciado, limitou-se, porém, às classes mais abastadas pelo alto custo.

No Brasil popularizou-se, entrou na letra de músicas populares e o escritor Jorge Amado ajudou na sua divulgação citando-o nos seus livros. Vadinho, personagem de “Dona Flor e seus dois Maridos”, experimentou o caviar e comentou: “tem cheiro e gosto de xibiu”.

Também os socialistas de triplex e mansões foram apelidados de “esquerda caviar”, o que veio a inspirar o jornalista Rodrigo Constantino a escrever o livro “A Esquerda Caviar”. É uma crônica divertida, agradável de se ler, além de conter uma crítica expressiva à esnobação dos que vivem uma vida nababesca e arrotam um revolucionarismo falso.

Além do mais, Constantino lista vários socialistas que levam uma vida de abundância, especialmente por causa do discurso que propagam. Artistas que mantém apartamentos em Paris e Nova Iorque se manifestam com extremismo obreirista.  E também faturam com a exibição esquerdizante na mídia, auferindo com seus discursos nos governos petistas, afagos e financiamento da Lei Rouanet.

Jornalistas de alto salário que também respiram o mesmo ar das ideias superadas pela experiência em vários países, insistem em comungar com elas. A poucos dias, levaram uma porretada da ministra Carmen Lúcia, presidente do STF. Perguntaram-lhe sobre os seus vencimentos. Carmen abriu a gaveta e mostrou-lhe seu contracheque, pedindo: – “Vocês podem mostrar os seus? ”.

O exibicionismo faz parte dos prazeres dos esquerdistas narcopopulistas quando conquistam o Poder. O ideólogo do lulopetismo, José Dirceu, antes de ser preso por corrupção e formação de quadrilha, tomava vinho de R$ 1.300 a garrafa.

Assistimos igualmente nas gestões dos ex-presidentes Lula e Dilma, essa distorção ideológica e a anomalia ética.  Só se hospedavam em hotéis de conforto régio, e Lula, desmoralizado como réu em três ações penais, só viaja em jatinho particular.

Por ato do governo Temer, Dilma perdeu semana passada 90 motoristas de uso particular (e familiar) e devolveu 28 carros. Sua filha também devolveu 8 carros e 16 servidores.

O luxo dos lulopetistas, é um desvio da teoria socialista; mas no caso deles é a própria razão de militar no esquerdismo. Vemos isto nas campanhas eleitorais. No Rio de Janeiro as calças rasgadas e remendadas das mocinhas que apoiam Freixo, não ocultam o perfume francês que usam habitualmente.

Em paralelo uma pesada gozação vem de baixo para cima: Zeca Pagodinho desmoraliza a “esquerda caviar” com os versos – “Você sabe o que é caviar? / Nunca vi, nem comi/ Eu só ouço falar…” E como nem só de caviar pode viver o homem, também a falsidade socialisteira não podemos suportar: Chega! Vamos derrotar no 2º Turno o puxadinho do PT e o seu candidato, Freixo.