28.10.16

FATIAMENTO FRAGILIZA A PETROBRÁS E FAVORECE MONOPÓLIOS PRIVADOS

JOSÉ CARLOS DE ASSIS -

Durante seminário realizado na noite de quarta-feira no IFICS, no Rio, todos os debatedores se pronunciaram fortemente contra o fatiamento da Petrobrás, cujo principal propósito é efetivar a privatização parcelada da empresa mesmo com a consequência de promover monopólios privados sem regulamentação. Participaram do evento, como palestrantes, a professora Vera Salim, representante da Reitoria da UFRJ; o professor da UFRJ Daniel Conceição; o presidente do Clube de Engenharia, Pedro Celestino; o especialista em petróleo, vice-presidente da AEPET, Fernando Siqueira; e o professor José Carlos de Assis.

Os resultados do Seminário foram resumidos num texto que estava sendo encaminhado, ontem, a todos os senadores, com um apelo para que considerem as trágicas consequências para a Petrobrás da venda de ativos segundo o Plano de Negócios proposto pela atual diretoria, e que está sendo classificado como “privatização fatiada”. Uma comissão formada por professores e estudantes da UFRJ e da UNB fez o encaminhamento, esclarecendo, a partir de sua própria constituição, segundo Assis, “seu caráter suprapartidário, supra-ideológico e supracorporativo”. Eis abaixo o texto com o resumo do evento.

O evento no Rio foi o primeiro de uma série a ser realizada dentro do I Ciclo de Seminários Universitários-Trabalhistas para a Retomada do Desenvolvimento, promovido pelo Movimento Brasil Agora, e a ser levado a todas as capitais. A ideia é acompanhar a pauta do Congresso Nacional, com foco no Senado. Os próximos seminários serão em Brasília, sobre a PEC-241 (agora PEC-55); em São Paulo, sobre a chamada reforma da Previdência; em Belo Horizonte, sobre a reforma trabalhista; em Curitiba, sobre o projeto dos dez pontos contra a corrupção apresentados pelo Ministério Público. Seguem-se João Pessoa, Recife, Salvador e Porto Alegre, este ano. No próximo os seminários serão levados aos outros Estados.

SÍNTESE DO SEMINÁRIO SOBRE PRIVATIZAÇÃO FATIADA DA PETROBRÁS
IFICS/UFRJ, em 26/10/2016.

Leia mais em POLÍTICA