21.11.16

A “MÃE” DE TODOS OS MALES

Por MAUSY SCHOMAKER e ANDREI BASTOS -


As redes sociais estão tomadas por manifestações de alegria e muitas piadas pelos últimos acontecimentos.

Claro que é muito bom assistir às prisões de nossos ex-dirigentes Sérgio Cabral e Anthony Garotinho. É ótimo.

Mas não dá para sentir alegria sabendo que nós, cariocas, somos roubados por nossos governantes, e há muito tempo. E que os roubos deles transformam a vida de milhões de cariocas em uma corrida de obstáculos para tentar atendimento nos hospitais, para tentar vagas nas escolas, para tentar pegar um ônibus sentado, para ter acesso a direitos básicos de cidadania. Para tentar não ser assaltado.

O roubo sistemático praticado por esses senhores, e tantos outros que ainda não estão com seus nomes nos holofotes, às verbas que nos pertencem e que deveriam ser canalizadas para o bem público e não para compras em Paris, por exemplo, matam milhares de cidadãos nas filas dos hospitais, na desnutrição sem merenda escolar, no abandono da juventude que cheira cola nas nossas calçadas (aliás, esburacadas) - nos guetos das favelas, no abandono de nossos policiais - morrendo aos montes com seus coletes vencidos -, na humilhação do servidor público recebendo salários parcelados, nas praças e ruas escuras, mal cuidadas e sem policiamento, na degradação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - um dos símbolos do descaso com a Educação desses senhores acima citados.

Num ponto de ônibus mal iluminado, em frente a uma das maiores universidades do Brasil, a UFRJ (também abandonada pelo Estado brasileiro), nosso amado filho Alex Schomaker Bastos morreu num assalto por causa de um celular. Num lugar onde deveria haver iluminação, policiamento e a presença do Estado. Mas não havia nada disso porque os valores que deveriam estar investidos no cuidado com o cidadão estavam (e ainda devem estar) sendo desviados para nababescos jantares parisienses, anéis de 800 mil reais, helicópteros para passeios particulares, muita gasolina para uso de nossos deputados e para grandes acordos entre aqueles que se consideram acima da Lei.

Esses senhores, todos, que agora são levados pela Polícia Federal, e os outros que esperamos também sejam conduzidos nos carros pretos para prisões federais, são corresponsáveis pela morte do Alex e de tantos outros jovens mortos pela violência e pelo abandono do nosso estado.

É forte dizer mortos pela corrupção? Não achamos. A corrupção é a "mãe" de nossos males e a ela não devemos nos acostumar nem aceitar como normal.

Não devemos nos acostumar a aceitar tudo pacificamente. O que - felizmente - parece que não estamos mais. Transformar tudo em uma piada é nossa característica e somos até invejados pelo nosso bom humor.

Então vamos contar uma ótima história para nossos corruptos: "sabe a última do corrupto? Está em Bangu, mas pode escolher entre Bangu 1, 2 ou 3. E vai comer comida da cadeia, aquela que já foi motivo de muita história nebulosa. Lembra do Rei das Quentinhas?”

PS: Por que o Pezão não foi se tratar num hospital público? Será que ele não quis tirar a vaga de um cidadão?

Mausy e Andrei
Pais orgulhosos e entristecidos
#eusoualex
*Texto enviado para o e-mail da redação.