16.11.16

JUIZ SÉRGIO MORO - O DEFENSOR DOS ‘TUCANALHAS’

EMANUEL CANCELLA -

Para os petistas as acusações valem sem provas, mas com convicção;
para os tucanos, mesmo com provas e convicção,  a prescrição!


Esse juiz não engana mais ninguém, afora aqueles que querem ser enganados. Sob muitos aspectos ele está longe de ser um herói, pois  suas mãos estão sujas, sua capa protege os mafiosos e seu martelo só bate sobre os mesmos. Ele coloca a justiça a serviço dos tucanos e dos golpistas!

Veja o vídeo “destruição a Jato” e tire suas próprias conclusões (5).

É cínico, pois disse nos EUA: “...Que não julgou casos relacionados ao PSDB porque investigações sobre o partido não chegaram a ele...(1)”. Senadores tucanos citados na Lava Jato: Antonio Anastasia, Aloysio Nunes e Aécio Neves, este mais de cinco vezes delatado. E ainda o governo tucano de FHC, na Petrobrás, várias vezes citado; o próprio filho de FHC (2), citado pelo ex-diretor da Petrobrás, preso, Nestor Cerveró. Nem mesmo quando FHC, na certeza da impunidade, admitiu que havia corrupção na Petrobrás, em seu governo, em seu livro, Diários da Presidência. Com tudo isso o juiz Moro diz que nada chegou a ele!

Para aqueles que dizem que os petroleiros se calam em relação à corrupção na Empresa:

Dr. Moro, estamos implorando que investigue a gestão do atual do presidente da Petrobrás, o tucano, Pedro Parente, aquele que foi ministro do ‘apagão’ de FHC. Sabemos que você  jamais vai investigar o atual presidente, simplesmente porque é tucano, mesmo sabendo que Pedro vendeu o campo de Carcará do pré-sal, sem licitação, com cada barril de petróleo de Carcará saindo a preço de um refrigerante, quando o barril no mercado internacional está custando US$ 50.

Dr. Moro, o balanço contábil da Petrobrás contrariou a ampla maioria dos analistas de mercado, principalmente os ligados à Agência Reuters e ao jornal especialista em economia, Valor Econômico. O que estaria por trás do resultado desse balanço estapafúrdio(3)? Seria desvalorizar para vender mais barato?

Dr Moro o senhor parece aquele personagem da escolinha do professor Raimundo que dizia:  Só pensa... naquilo!”. Esqueça e um pouquinho Lula e o PT e olhe os tucanos.

O Lula está sendo investigado há décadas; em 1989, o máximo que o seu adversário Fernando Collor descobriu contra Lula foi que ele deu um aparelho de som três em um para uma namorada.

Moro, você caiu na esparrela de tentar descobrir uma corrupção do ex-presidente Lula: A sociedade está achando hilariantes suas tentativas: O triplex e o sítio que não eram de Lula; o barquinho sem motor, o pedalinho.

Você, Dr. Moro, chegou ao cúmulo do absurdo de aceitar a denúncia contra Lula sem prova, mas apenas com convicção, de que Lula era o comandante máximo da corrupção na Petrobrás.  Depois vem a reforma da piscina do Palácio do Alvorada que já virou piada: “Lula levou a piscina para casa”.

E agora vem o senador preso Delcídio que afirmou, segundo a revista "IstoÉ", que o ex-presidente tinha conhecimento do esquema de corrupção que atuou na Petrobras e agiu para barrar as investigações da Operação Lava Jato. Sabemos que isso trata-se de engodo já que as próprias gravações divulgadas do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com o ex-ministro afastado de Temer,  Romero Juca, mostram que um dos motivos do impeachment de Dilma foi porque ela não interferia nas investigações (4).

Quanto a Lula, a sociedade é testemunha de que ninguém foi mais investigado que ele, principalmente na Petrobrás e o mesmo não acontece com os tucanos, haja vista o governo de FHC e agora a gestão de Pedro Parente.

A mídia, que apoia o juiz Sérgio Moro, para justificar suas ações,  diz que um processo contra parlamentar leva 18 anos: A Folha 06/11/16: “Casos de foro privilegiado se arrastam por até 18 anos.” A mídia só não disse que essa regra criminosa  só vale para os políticos tucanos e os golpistas, já que, entre outras aberrações “jurídicas”,  o mensalão tucano está prescrevendo sem julgamento e o mesmo caminho está levando o envolvimento dos tucanos citados na Lava Jato.

Para os petistas as acusações valem sem provas, mas com convicção; para os tucanos mesmo com provas e convicção a prescrição!

Fonte:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).