9.11.16

NÓS TEMOS TEMER E OS ESTADUNIDENSES AGORA TÊM TRUMP

EMANUEL CANCELLA -

Na verdade nós temos, no governo, o golpista Temer e os americanos agora têm Donald Trump, eleito. Eu escrevi que Obama valia mais que os dois Bush. Mas o apoio de Obama à derrubada de Dilma foi inaceitável, como revelado na denúncia “Governo invisível dos EUA trabalha no golpe em marcha no Brasil” (1).

Lógico que já havia uma forte desconfiança da participação dos EUA no golpe do  Brasil, o que aliás é de praxe, mas, depois da denúncia do Wikeleaks, não restou nenhuma dúvida. E ninguém também  tem dúvida que Trump faria igual ou pior.

E sabemos que o pano de fundo da derrubada de Dilma, no Brasil, o golpe contra Hugo Chávez, que durou somente 47 horas, e agora a trama contra o atual presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, têm um principal objetivo que consiste em se apossarem do petróleo alheio.

Trump e Temer são sinônimos de políticas homofóbicas, racistas contra negros, hispanos, índios e refugiados. E ainda enfrentamentos contra o movimentos, estudantis, sociais e sindicais e por aí vai.

Eu torci por Obama e Hillary Clinton para barrar Trump e a volta da onda Bush.  Mas também, tudo tem um limite! Obama, além de intervir na política interna dos outros países, tem na sua conta a culpa pelas guerras que geraram milhões de refugiados, em sua maioria árabes que buscam um lugar para viver com suas famílias.

Mas uma coisa chamou atenção do mundo, nessa eleição  americana, quando o “FBI inocenta Hillary Clinton na investigação sobre e-mail (2)”.

Aqui no Brasil, a PF, sem ordem judicial, por decisão do juiz Moro, quebrou o sigilo telefônico da presidenta Dilma e do ex-presidente  Lula  e, o mais grave, vazou para a mídia. O mesmo juiz  Moro ainda aceitou a denúncia contra o ex presidente Lula, sem provas.

No mais, as sociedades civis organizadas daqui e de lá não vão dar trégua a qualquer tentativa de retrocesso na democracia, nas conquistas sociais e trabalhistas.

Aqui no Brasil, ontem, terça, 8, os trabalhadores invadiram a Alerj para barrar a política do governo que quer jogar a conta da crise sobre os trabalhadores.

O golpista Temer que se cuide, pois, já já, essa onda de protestos vai chegar em Brasília, no Palácio do Planalto!

Fonte:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).