16.11.16

POESIAS: NOÇÕES (CECÍLIA MEIRELES); ASSIM EU VEJO A VIDA (CORA CORALINA); VINHO (J.G. ARAÚJO JORGE)

CULTURA -

NOÇÕES (Cecília Meireles)

Entre mim e mim, há vastidões bastantes
para a navegação dos meus desejos afligidos.

Descem pela água minhas naves revestidas de espelhos.
Cada lâmina arrisca um olhar, e investiga o elemento que

a atinge.

Mas, nesta aventura do sonho exposto à correnteza,
só recolho o gosto infinito das respostas que não se

encontram.

Virei-me sobre a minha própria existência, e contemplei-a
Minha virtude era esta errância por mares contraditórios,

e este abandono para além da felicidade e da beleza.

Ó meu Deus, isto é a minha alma:
qualquer coisa que flutua sobre este corpo efêmero e

precário,

como o vento largo do oceano sobre a areia passiva e
inúmera…


***

ASSIM EU VEJO A VIDA (Cora Coralina)
A vida tem duas faces:
Positiva e negativa

O passado foi duro

mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.

***
VINHO (J.G. Araújo Jorge)
Resultado de imagem para vinho gif animado


Do amor tu não dirás: provo, mas não me embriago,

que não basta provar para sentir o amor.
É preciso sorvê-lo até o último trago
se a embriaguez é que dá seu profundo sabor.

Teu amor deve ter profundidade e cor
não deve ser um sonho doentio e vago,

se assim for, então sim, podes te dar por pago

que este é o preço da vida e todo o seu valor.
Transborda a tua taça, ergue-a nas mãos, e brinda
o momento feliz que viveste e não finda,

que só o amor que embriaga e que nos leva a extremos

pode glorificar os sentidos e a vida,
e vencendo a razão que nos tolhe e intimida,

nos faz reaver, de pronto, as horas que perdemos!

Clique aqui para ler a biografia de J. G. de Araújo Jorge