17.12.16

1 - FOTO DE TEMER, MARCELA E PAPAI NOEL COM CRIANÇAS TRISTES VIRALIZA. 2 - NOVO MANDATO DE AÉCIO NA PRESIDÊNCIA DO PSDB É “GOLPE”, DIZ ALCKMIN. 3 - CUNHA É TRANSFERIDO PARA PRESÍDIO

REDAÇÃO -


Prorrogação de mandato de Aécio na presidência do PSDB é “golpe”, diz Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), reagiu com indignação à decisão da cúpula de seu partido de prorrogar o mandato do senador Aécio Neves (MG) na presidência da sigla.

Segundo assessores, Alckmin considerou a medida uma “expulsão branca” e “golpe branco”, como uma tentativa de forçá-lo a deixar o PSDB se quiser garantir a sua candidatura à Presidência em 2018.

O posto de presidenciável tucano é disputado tacitamente pelo governador paulista, de um lado, e Aécio e o ministro José Serra (Relações Exteriores), de outro.

A presidência do PSDB é decisiva na condução do processo interno de escolha do candidato. Com a prorrogação por um ano, Aécio estará no comando durante o ano pré-eleitoral.

Um aliado de Alckmin usou o termo “revolta” para descrever a reação no Palácio dos Bandeirantes.

Outro interlocutor do governador comparou a articulação àquela que tentou fazer do vereador Andrea Matarazzo, então no PSDB, hoje no PSD, candidato a prefeito de São Paulo. (informações da Folha)

***
Cunha é transferido para presídio

O juiz Sérgio Moro determinou nesta sexta-feira, 16, que o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) seja transferido da carceragem da Polícia Federal em Curitiba para o Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana.

Cunha foi preso em 19 de outubro, na Operação Lava Jato, na qual é réu por, segundo o MPF, ter recebido propinas em um contrato de Petrobras.

Moro justificou a decisão devido à lotação da cadeia e as melhores condições do presídio para receber o ex-deputado. “A transferência, portanto, não é sanção, mas visa atender exclusivamente uma necessidade de abrir espaço na carceragem da Polícia Federal e a de evitar superlotação prejudicial aos presos”, diz magistrado na decisão.

No mesmo despacho, Moro negou a transferência do ex-tesoureiro do PP, Claudio Genu, que, segundo o magistrado, manifestou a intenção de colaborar com a Justiça. Na terça-feira, o juiz já havia negado a transferência do ex-presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro. (via Brasil 247)