23.1.17

1 - SENTIMENTALISMO E SOLIDARIEDADE; 2 - A AUSÊNCIA DEDICADA

MARCELO MÁRIO DE MELO -

Sentimentalismo e Solidariedade

É bom não ser sentimental em nada na vida, principalmente, em política, mas ser solidário com horizonte universal.

Não fazer com os outros o que não queremos que se faça conosco.

Respeitar os direitos gerais e especiais. Principalmente, respeitar o direito de expressão e apresentação de qualquer um.

Não atravessar as filas da vida.

Não caluniar os inimigos.

Não mentir para beneficiar os amigos.

Contribuir para a composição da verdade histórica, colocando os dedos nas feridas quando necessário, sem um milímetro de atenuação ante pessoas vivas ou mortas. A verdade histórica não tem luvas. Os mortos não viram bonzinhos. Os explorados, oprimidos, discriminados e contestadores não são joias de bondade.

Fora do campo de batalha, sem lhe dedicar nenhum respeito ou simpatia, mesmo virando o rosto e segurando o vômito, socorrer um inimigo em fragilidade e risco, vendo-o como dependente/paciente que precisa de cuidado.

Agir corretamente não significa, sempre, agir amorosamente. Isto seria primarismo e falta de princípios. Sem negar que nos sentimos melhor quando as duas faces se encontram. Não é certo sermos justos com quem amamos e injustos com quem detestamos. Sentimento é sentimento e dever é dever. Os assassinos mais cruéis são carinhosos com os seus filhos, enquanto matam os filhos dos outros. O sentimentalismo dá nisso.

Não sejamos sentimentais. Sejamos solidários. Amando ou não as pessoas. Amando o ato. A arte. Arte da justiça. Arte pela arte.

***
A AUSÊNCIA DEDICADA

A ausência dedicada está sempre presente pontual e assídua respondendo à chamada e assinando a ata.Tem cor de cinza-pálido é sólida e seca em contornos definidos de borracha de desapagar e se pegar nas coisas como aranha fazendo teia em canto de parede.

As pessoas se sentem agredidas com a sua presença ostensiva e não sabem como se livrar dela que é peguenta. Mas com a ajuda de um grilo mágico meu amigo que conseguiu entrar em seus pensamentos e no seu mundo descobri o seu segredo.

Ela é sempre acusada de invasiva e o grilo me disse que quando a acusam disso dá risada porque de fato não é invasiva nem um milímetro mas entrona exatamente isto entrona pois não invade nada nem mesmo empurra porta e só entra onde encontra porta aberta sendo este o seu segredo.

Então é muito fácil livrar-se dela: somente não deixar a porta aberta.