16.1.17

FRENTISTAS DO MUNICÍPIO DO RJ REIVINDICAM 16,36% DE REAJUSTE SALARIAL

Via SINPOSPETRO-RJ -

Os trabalhadores dos postos de combustíveis e lojas de conveniência do Município do RJ aprovaram a pauta de reivindicação que prevê aumento real nos salários. A assembleia da categoria foi realizada no terreno, onde será construída a sede própria do sindicato.


Os trabalhadores dos postos de combustíveis e lojas de conveniência do Município do RJ já têm motivos para comemorar, antes mesmo do início da negociação salarial. Em assembleia realizada no último sábado(14), o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, apresentou aos trabalhadores o terreno onde será construída a futura sede do sindicato. Ao apresentar a pauta de reivindicação da Convenção Coletiva 2017/2018 à categoria, ele disse que a luta iniciada há 11 anos com a fundação do sindicato, será consolidada com o lançamento da pedra fundamental da sede própria. “Hoje é um dia histórico, estamos realizando a assembleia na nossa casa e a categoria está unida e fortalecida para lutar por melhores salários e novas conquistas.”

Eusébio Neto chamou a atenção dos trabalhadores para ameaça de perda de direitos e a precarização da mão de obra. Por causa da crise econômica, o trabalhador hoje está em desvantagem, já que falta vaga no mercado. Segundo ele, só com união a categoria vai avançar nas conquistas. “O sindicato sozinho não tem condições de fazer muita coisa, a força do trabalho está na união e a do capital está no dinheiro. A assembleia é o local para a categoria expressar a sua indignação e cobrar direitos. O trabalhador tem que acordar e não delegar a outras pessoas o futuro do seu destino. É preciso participar da discussão do aumento de salário, já que esse reajuste se transforma em rendimento para garantir o pão de cada dia da família . Reclamar não resolve. Tem que ter ação”-completou.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ alertou que os trabalhadores de todo o terão mais dificuldades para negociar este ano, por causa súmula do Supremo Tribunal Federal, que determina que os direitos conquistados só tem validade até a data-base. Pela súmula, os patrões podem suspender os benefícios até que a nova Convenção Coletiva seja assinada.

REIVINDICAÇÃO

Com relação as cláusulas econômicas, o sindicato reivindica para os trabalhadores reajuste salarial de 16,36%. além do aumento, o SINPOSPETRO-RJ vai brigar para conquistar o tíquete-refeição diário de R$ 20,00( vinte reais), reivindicação antiga da categoria e bandeira de luta da entidade. Na pauta, o sindicato exige também um piso salarial de Participação nos Lucros e Resultados(PLR), dividido em duas parcelas e a criação da função caixa, com pagamento de adicional para o trabalhador.

SEGURANÇA E SAÚDE

Na pauta de reivindicação, o sindicato cobra da empresa a lavagem dos uniformes dos trabalhadores, como determina o anexo II da NR 9, em vigor desde setembro do ano passado. Eusébio Neto disse que ao levar o uniforme para lavar em casa, o trabalhador põem risco a saúde de toda a família.

O sindicato também exige o cumprimento da NR 17, com a colocação de assentos para o trabalhador descansar entre um abastecimento e outro. “Hoje está comprovado que trabalhar muitas horas em pé pode causar problemas sérios à saúde. As normas regulamentadoras existem para serem cumpridas e nós estamos cobrando dos patrões, desde o início de 2016, a instalação dos bancos”.

CASA DO FRENTISTA

No terreno de mil metros quadrados na rua Souza Barros, no Engenho Novo, será construído um prédio de quatro andares, com consultório odontológico, salas de jogos e cinema, parque e outros departamentos. Eusébio Neto agradeceu e dedicou a aquisição do terreno aos trabalhadores que contribuem para o sindicato. Ele disse que inicialmente o espaço vai funcionar como estacionamento, até  que as obras iniciem. Ele acredita a nova sede levará cinco anos para ser construída, já que o projeto é grande e requer recursos.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ