20.1.17

O MPF ALÉM DE INTIMAR QUEM DENUNCIA A LAVA JATO, NÃO ACEITA NEM CRÍTICAS DA PF À OPERAÇÃO

EMANUEL CANCELLA -


A lava Jato é a operação mais longa da história do nosso Judiciário. Há mais de dois anos a operação investiga a Petrobrás que, diga-se de passagem, está destruindo a empresa e sendo responsável por mais de dois milhões de desempregados e queda de cerca de 5% do PIB.

Quando interessa, a Lava Jato investiga a morte do prefeito de Santo André (2); a Eletronuclear; a transposição do Rio são Francisco e ainda veio ao Rio de Janeiro prender o ex-governador Sérgio Cabral.

Quando não interessa à Lava Jato, não há investigação no governo de FHC na Petrobrás, nem com a declaração de culpa do próprio FHC, que, em seu livro Diário da Presidência, declarou que havia corrupção na Petrobrás, em seu governo. Também não interessou à operação se o filho de FHC já foi citado em corrupção na Petrobrás, pelo ex-diretor da empresa, preso, Nestor Cerveró, como também pelo lobista do PMDB, Fernando Baiano (3).  Também não interessou o envolvimento do tucano Aécio Neves, em Furnas, sete vezes delatado na Lava Jato.

Por que quando a corrupção envolve tucanos, a Lava Jato não faz nada? Denunciei a Lava Jato ao MPF, por omissão, já que finge que não vê que a gestão do também tucano Pedro Parente realiza um verdadeiro feirão na Petrobrás, “vendendo” ativos muitos mais valiosos do que tudo que foi surrupiado no Petrolão(4). Tudo sem licitação e a preços módicos. Mas, pasmem! O MPF, ao invés de fazer parar a entrega de nosso patrimônio público, conseguido com sangue e suor do povo brasileiro, ainda me intimou, a pedido do juiz Sérgio Moro, sob a alegação  de “Defesa da honra do servidor público”.(6).

A procuradora da República, Thaméa Danelon, integrante do Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público de São Paulo, disse em entrevista à Folha, nesta quinta, dia 19, que membros da Polícia Federal, que estão chateados ou possuem denúncias contra a força-tarefa do Ministério Público Federal, que atua na Lava Jato, deveriam se reportar a órgãos de investigação internos, e não expor as rixas na imprensa (7).

Ninguém nega a importância da Lava Jato, quando prende gente poderosa; o que se critica é o uso seletivo das investigações; grampos ilegais; vazamento seletivo de delações para a mídia, principalmente contra a Petrobrás;  denúncias e  prisões sem provas, etc.

E a vergonhosa omissão da Lava Jato em relação aos tucanos, principalmente no governo tucano FHC e da gestão do tucano  Pedro Parente, na Petrobrás.

No Brasil, agora, o cidadão que denuncia a Lava Jato ao MPF é intimado; o policial federal é impedido de fazer qualquer crítica e os juízes e procuradores fazem lobby pessoalmente para não serem punidos por crime de responsabilidade.

Seriam deuses nossos procuradores e juízes?

Fontes:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”