19.1.17

DEPUTADOS AMERICANOS DIVULGAM CARTA EM APOIO A LULA E COM CRÍTICAS A MORO; SESSÕES DO FILME “DANIEL BLAKE” VIRAM MANIFESTAÇÕES DE “FORA TEMER”

REDAÇÃO -

Um grupo de 12 deputados do Partido Democrata dos Estados Unidos vai divulgar nesta quarta-feira (18) uma carta pública em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em que acusa o juiz Sergio Moro de persegui-lo por meio de decisões “arbitrárias”.

A carta, obtida pela Folha, é endereçada ao embaixador do Brasil em Washington, Sergio Amaral, e afirma que o ex-presidente está sendo “perseguido”. “Estamos especialmente preocupados com a perseguição do ex-presidente Lula da Silva, que viola as normas de tratados internacionais que garantem o direito da defesa para todos os indivíduos.”

“Exortamos as autoridades federais do Brasil a fazer todo o possível para proteger os direitos dos manifestantes, líderes de movimentos sociais e líderes da oposição, como o ex-presidente Lula”, diz a missiva.

Segundo o texto, o governo de Michel Temer tem agido “para proteger figuras políticas corruptas, para impor uma série de políticas que nunca seriam apoiadas em uma eleição nacional e pressionar adversários nos movimentos sociais e nos partidos de oposição.”
(…)
Também assinam a missiva alguns sindicatos e think tanks americanos, entre eles a central sindical AFL-CIO, que tem mais de 12 milhões de membros.

“Lula tem sido alvo de um juiz, Sergio Moro, cujas ações parciais e arbitrárias tem ameaçado seu direito de defesa. Por exemplo, o juiz ordenou a prisão arbitrária [a condução coercitiva, em março de 2016] do ex-presidente só para servir de intimação, embora não houvesse nenhuma indicação de que o ex-presidente não quisesse depor na Justiça.” (via Folha)

***
Sessões do filme “Daniel Blake” viram manifestações de “Fora Temer”

Em cartaz no Rio desde o dia 5 de janeiro, o filme “Eu, Daniel Blake”, do inglês Ken Loach, tem motivado manifestações políticas no Brasil. A produção mostra a crise do sistema de previdência, a burocracia estatal para se conseguir um auxílio-doença e as consequências da falta de emprego para a população. Tudo isso na Inglaterra. Ainda assim, gritos de “Fora Temer” têm sido comuns aos finais das sessões por aqui — e até já foram motivo de discussões dentro dos cinemas. (Leia mais sobre o filme nesta matéria de Carlos Heli de Almeida)

Já no Festival do Rio, em outubro, quando a produção foi exibida pela primeira vez no Brasil, o povo não se conteve: a primeira sessão aconteceu num domingo à noite, no Cine Odeon, e boa parte da plateia gritou no fim um forte “Fora Temer”, em meio a aplausos entusiasmados pela obra de Loach. O diretor é famoso por abordar temas sociais e políticos e costuma agradar público e críticos. “Eu, Daniel Blake”, por exemplo, venceu a Palma de Ouro de Cannes no ano passado, troféu que Loach já havia levado para casa por “Ventos da liberdade” (2006). (…)
(via O Globo)