28.2.17

1 - TERCEIRO ACIDENTE COM CARROS NA SAPUCAÍ DEIXA MAIS 20 FERIDOS E EVIDENCIA AMADORISMO NO “MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA” [VÍDEO]; 2 - MANGUEIRA PEDE AJUDA DOS SANTOS PARA CONSEGUIR O BICAMPEONATO

REDAÇÃO -

Parte de alegoria da escola Unidos da Tijuca desaba e deixa 20 feridos. Cinco pessoas em estado grave foram levadas para o hospital. 

Ferida, vítima é amparada por soldado do Corpo de Bombeiros.
A parte de cima de um dos carros da Unidos da Tijuca afundou logo ao entrar na avenida da Marquês de Sapucaí na madrugada desta terça-feira (28). A Secretaria Municipal de Saúde informou às 5h30 que 20 pessoas foram atendidas em decorrência do acidente com o carro alegórico. Desse total, 12 ficaram feridos e oito receberam assistência devido à ansiedade e ao nervosismo provocados pelo estresse em função do acidente. Nove pessoas foram transferidas em ambulâncias da SMS para os hospitais municipais Souza Aguiar, no Centro, Miguel Couto, na Gávea, e Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. 5 pessoas estão em estado grave.

O segundo carro da Tijuca, que representa a cidade de Nova Orleans, estava no início da avenida quando ocorreu o acidente. O desfile chegou a ser interrompido, mas voltou minutos depois. O carro ficou parado enquanto os integrantes eram socorridos. Integrantes das demais alas passaram ao lado do carro para poder entrar na avenida.

Talita Thiele, de 21 anos, estava no carro que caiu e foi atendida no posto médico. "O carro da Tijuca caiu. Estou bem, só bati as costas no ferro. Tem umas quatro pessoas bem machucadas", disse ao UOL depois de ser liberada.

Lembrada por grandes desfiles nos últimos anos, a Unidos da Tijuca traz neste Carnaval o enredo "Música na alma, inspiração de uma nação", sobre a história da música norte-americana. O fio condutor é um encontro real entre Louis Armstrong e Pixinguinha, ocorrido em 1957. A azul e amarela apresenta toda a riqueza desse universo, desde os tempos da escravidão até os grandes sucessos da música pop atual, como Beyoncé e Lady Gaga.


Terceiro acidente com carros - O acidente com a Unidos da Tijuca é o terceiro envolvendo carros alegóricos no Carnaval do Rio. Na primeira noite, um carro da Paraíso da Tuiuti perdeu o controle e feriu 20 pessoas – três delas em estado grave. 

O segundo acidente ocorreu com a passagem da Mocidade Independente de Padre Miguel. Uma plataforma se soltou da lateral do quarto carro da escola, levando a integrante que estava sobre ela ao chão. Segundo a diretoria da escola, a jovem, chamada Paula, está bem e não sofreu ferimentos.

No domingo, um carro da União da Ilha teve dificuldades para entrar na pista, chegou a se desviar na pista e encostar nas grades e sofreu com uma pane elétrica que deixou todas as luzes apagadas durante o desfile. Apesar do problema, nada mais grave aconteceu. (com informações do R7 e UOL)



Leia também:

CARNAVAL: 1 - COLISÃO DE CARRO ALEGÓRICO FERE 20 PESSOAS NA SAPUCAÍ; 2 - GRUPO DE SALVADOR PODE SER VETADO DO CARNAVAL POR PUXAR CORO “FORA TEMER”; 3 - ACM NETO É VAIADO E CHAMADO DE GOLPISTA NA SAÍDA DO BLOCO ILÊ AIÊ [VÍDEO]



***

MANGUEIRA PEDE AJUDA DOS SANTOS PARA CONSEGUIR O BICAMPEONATO

Torcida da Mangueira tomou a Sapucaí após o desfile
A Estação Primeira de Mangueira encerrou o segundo dia de desfiles na Sapucaí na manhã desta terça-feira (28) cantando para os diferentes santos e orixás das religiões brasileiras em busca do bicampeonato no grupo especial. A verde e rosa fez uma procissão de cores e sons para mostrar todas as misturas e o sincretismo da espiritualidade do país, e atravessou a avenida com 71 minutos.

A bateria, vestida de São Francisco de Assis, portava o corte de cabelo característico da ordem dos franciscanos, uma referência à coroa de espinhos de Jesus Cristo. A cantora Beth Carvalho mais uma vez participou do desfile da Mangueira. Dessa vez, como destaque no carro dedicado a Iemanjá. Alcione também esteve presente, na alegoria sobre São João, carro que teve problemas em uma das rodas e deixou um buraco no desfile.

A Mangueira defendeu na Sapucaí o enredo "Só com a ajuda do santo", com 3,5 mil componentes em 26 alas, seis alegorias e três tripés. Este ano, o desfile foi mais uma vez organizado pelo carnavalesco Leandro Vieira, comandante do título conquistado em 2016. Ele negou que deixará a escola em 2018.

Mas nem apenas santos e orixás foram cantados pela escola. A verde e rosa também dedicou uma parte de sua apresentação aos devotos brasileiros, através da imagem de Zé do Burro, protagonista da peça "O pagador de promessas", de Dias Gomes.

E se o sol já começava a dar as caras durante o desfile da Mangueira, a agremiação levou sua própria lua para a Sapucaí. Um grande balão simulando o satélite pairava sobre a alegoria em homenagem a São Jorge, que ainda contava com um grande dragão em movimento.

Além dos cortes de cabelo franciscanos ostentados por seus integrantes, a bateria também ousou com algumas paradinhas ao longo do desfile, que permitiam que o samba enredo ecoasse pela avenida. (via G1)