17.2.17

ADVOGADO DE AÉCIO DESISTE DA JUSTIÇA E ELE TENTA EMPLACAR PROCURADOR; GOVERNO PAGA YOUTUBERS PARA FAZER PROPAGANDA DISFARÇADA DE REFORMAS NO ENSINO MÉDIO

REDAÇÃO -


O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, escolhido por Michel Temer para ocupar o ministério da Justiça no lugar de Alexandre de Moraes, não irá aceitar o cargo. Ele já teria ligado para Temer e comunicado sua desistência.

Se virasse ministro, Velloso teria de fechar o escritório de advocacia que tem com o filho, e todos os contratos com diversos clientes - entre eles a Chevron - teriam de ser cancelados.

A indicação do nome de Velloso foi feita pelo senador Aécio Neves (MG), para quem Velloso trabalha e diz não cobrar honorários, e provocou irritação na bancada do PMDB na Câmara, onde deputados começaram a chamar o tucano de "traidor". Os dois partidos disputam espaços no governo Temer.

Agora, Aécio tenta emplacar na vaga o procurador mineiro José Bonifácio Borges de Andrada, que é o número 2 da Procuradoria Geral da República. Andrada está como vice na PGR, onde substituiu Ela Wiecko, também por indicação do presidente do PSDB. (via Brasil 247)

***
Governo paga youtubers para fazer propaganda disfarçada de reformas no ensino médio


Um vídeo no YouTube que explica “tudo que você precisa saber sobre o ensino médio” já tem mais de 1,6 milhão de visualizações. Com conclusões positivas sobre a reforma, o material tem a aparência de espontaneidade, mas trata-se de publicidade e disfarçada do MEC (Ministério da Educação).

O governo Michel Temer pagou R$ 65 mil para o canal Você Sabia falar bem da reforma. Comandado por dois jovens, o canal no YouTube conta com 7,1 milhões de assinantes.

No vídeo, publicado em 31 outubro de 2016, os youtubers Lukas Marques e Daniel Molo explicam benefícios da reforma. “Com esse vídeo você aí deve estar dando pulo de alegria. Se eu tivesse que fazer o ensino médio e soubesse dessa mudança eu ficaria muito feliz”, diz um deles.

Nada no vídeo diz que se trata de conteúdo pago. Pelo contrário. “A gente achou o tema bastante interessante, uma galera [estava] discutindo nas redes sociais, e então falamos: deixa com nós que a gente explica direitinho”, reforça um deles no final. (via Folha)