27.2.17

CARNAVAL: 1 - COLISÃO DE CARRO ALEGÓRICO FERE 20 PESSOAS NA SAPUCAÍ; 2 - GRUPO DE SALVADOR PODE SER VETADO DO CARNAVAL POR PUXAR CORO “FORA TEMER”; 3 - ACM NETO É VAIADO E CHAMADO DE GOLPISTA NA SAÍDA DO BLOCO ILÊ AIÊ [VÍDEO]

REDAÇÃO -

Ferida gravemente, vítima é amparada por soldado do Corpo de Bombeiros.
Ao menos vinte pessoas ficaram feridas após um acidente com um carro alegórico da escola de samba Paraíso do Tuiuti, neste domingo, 21, primeiro dia desfile do Grupo Especial na Marquês de Sapucaí. Segundo os primeiros relatos, o carro teria colidido com a grade que separa a arquibancada e a pista e os integrantes foram presos na grade. Os feridos foram sendo levados para o hospital Souza Aguiar. Entre os feridos está a jornalista Lúcia Melo, entre outros profissionais da imprensa.

Segundo o diretor de carnaval da Liga das Escolas de Samba (Liesa), Elmo José dos Santos, o carro se desgovernou por conta da chuva e pressionou as pessoas que estavam dentro da pista acompanhando o desfile da escola. "Com a chuva o carro pendeu para o lado esquerdo e se desgovernou um pouco", disse. Entre os oito feridos com mais gravidade, dois foram levados para o Hospital Souza Aguiar e uma delas está em estado mais grave com uma fratura exposta. As outras vítimas estão sendo atendidas no posto médico da Marques de Sapucaí. A Polícia Civil está no local e fará uma perícia no carro.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, disse que o acidente com o carro alegórico do Paraíso do Tuiuti é inédito na Sapucaí. "Pelo que que saiba é a primeira vez que acontece um acidente dessa gravidade", disse, ao fim da apresentação da escola. Testemunhas contaram que o carro, que era o último da escola e tinha uma parte acoplada, o que dificulta o manejo, entrou na avenida de forma apressada. Isso porque a escola estava atrasada - este ano, a apresentação foi encurtada de 82 para 75 minutos.

O carnavalesco Jaime Cezário, que é do Porto da Pedra, escola da série A, e assistia a Escola Tuiti da pista, foi um dos feridos. Ele contou que o motorista entrou errado na avenida e, na pressa, imprensou quem estava no setor 1. Na tentativa de consertar o erro e evitar perda de pontos por estouro no tempo, ele jogou o carro para o outro lado, e aí feriu também quem estava neste ponto - caso de Cezário.

"O desfile estava atrasado, já tinha aberto um espaço. Eles estavam preocupados para que o carro entrasse logo. Na pressa, o motorista acabou jogando o carro para o outro lado. No lado ímpar, as pessoas ficaram mais graves. Por ser alto, eu consegui escapar um pouco", disse o carnavalesco, que ficou com um corte na perna esquerda de 10 centímetros e foi atendido no posto médico do sambódromo. A Polícia Civil fez uma perícia ainda no local. Também fora identificados, entre os feridos, o fotógrafo Severino Silva, do jornal O Dia, e a repórter Lucia Mello, do site especializado Tititi do samba.
(informações Diário do Poder)

***
Grupo de Salvador pode ser vetado do Carnaval por puxar coro “Fora Temer”

O navio pirata da BaianaSystem, que costuma arrastar multidões por onde passa, pode não navegar no mar de gente do Carnaval de Salvador em 2018. Em mais uma apresentação no Furdunço, desta vez no Circuito Osmar (Campo Grande), o líder da banda, Russo Passapusso, entoou o coro “machistas, fascistas, não passarão”, além de dar início a um “Fora, Temer”.

Russo foi acompanhado unanimemente por um público fervoroso que costuma vibrar ao som do verso “a mais de mil decibéis, virado numa goteira”, da música Playsson. De acordo com o presidente do Conselho Municipal do Carnaval de Salvador (Comcar), Pedro Costa, o ato é considerado grave e pode render à banda uma punição proporcional.

“O código de ética é claro, é terminantemente proibido que o artista use o carnaval para denegrir alguém, como foi feito pelo Baiana System. Há um risco concreto de punição grave, que seria a exclusão deles”, explicou o Pedro.

Ainda conforme o representante do Comcar, a comissão da ética vai se reunir logo após o Carnaval para assistir aos vídeos e avaliar a punição da banda. “Foi um ato de politicagem e eles não foram pagos para isso. Embora tenhamos muito orgulho de tê-los conosco nesta realização, é inaceitável e vai haver punição, sim. São 700 atrações envolvidas, se todos resolverem fazer isso, vira um palanque político”, ressalta.

O presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), responsável pela organização do Carnaval, Isaac Edington, afirmou que é imaturo assumir qualquer posição sobre o assunto em pleno Carnaval 2017. “O nosso foco agora é realizar um evento extraordinário, como está sendo”, salientou, acrescentando que é contra qualquer tipo de censura.

“Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo. Essa frase, atribuída a Voltaire, demonstra um pouco a forma como eu vejo esse assunto”, disse. (via Correio24horas)

***
ACM Neto é vaiado e chamado de golpista na saída do bloco Ilê Aiê em Salvador