10.2.17

ENTREVISTA – A MAESTRIA DO SINDICALISTA EUSÉBIO PINTO NETO EM DEFESA DOS FRENTISTAS DO BRASIL [VÍDEO]

DANIEL MAZOLA -

O dirigente a postos para mais um dia de luta em frente a sede do SINPOSPETRO-RJ no bairro do Grajaú, Rio de Janeiro/Fotos e vídeo: Daniel Mazola.
A dinâmica e militante rotina de um verdadeiro lutador, Eusébio Pinto Neto, baiano do município de Vitória da Conquista (BA), dirigente da Força Sindical, radicado no Rio de Janeiro, presidente da FENEPOSPETRO e do SINPOSPETRO-RJ foi sem dúvida a grande pauta da semana. Vivenciei um dia de trabalho desse batalhador que não perde a esperança em dias melhores, apesar das grandes dificuldades políticas e econômicas da atual conjuntura.

Consciente e imbuído da sua missão, com a cabeça sempre voltada para temas como: benefícios e salários, data base, negociações, dissídio, seguimos em um dos carros do sindicato, ao volante, o presidente Eusébio P. Neto iniciou o dia conferindo o cronograma de obras da nova sede do SINPOSPETRO-RJ - bairro Vila Isabel próximo ao Estádio do Maracanã - com previsão de inauguração para o próximo mês.

Em seguida nos deslocamos para o Engenho Novo, antes o sindicalista parou em um posto de gasolina para dialogar com os frentistas sobre as pautas de luta da categoria. Da subsede do Engenho Novo, que servirá principalmente como espaço para plenárias, assembleias, reuniões e festas, seguimos para a atual sede do SINPOSPETRO-RJ no aprazível Grajaú. Lá o presidente despachou com diretores e advogados.

Por fim seguimos para outra subsede no município de Nova Iguaçu, onde o foco principal é o atendimento por conta das homologações e questões jurídicas.

Eusébio Pinto Neto dialogando com os frentistas sobre as pautas de luta da categoria.
Sendo o líder de duas importantes entidades representativas dos trabalhadores em postos de combustíveis, o dirigente tem grandes responsabilidades, representando mais de 500 mil trabalhadores em todo o país. “A nossa rotina aqui no Rio se dá de acordo com as demandas, em um dia normal vou ao sindicato, de lá despacho e sigo minha agenda de acordo com as prioridades, assim é meu dia-a-dia, isso quando não estou percorrendo outros sindicatos pelo país”.

Constatei que o dirigente segue diariamente sua rotina com espírito de luta, consciência classista, mente e corpo saudáveis. São muitas as pressões, empregos e vidas dependem das boas práticas sindicais do presidente Eusébio. Lidar com patrões, negociar com esses empresários donos de postos de combustíveis não é tarefa fácil, exige compromisso ideológico e sensibilidade social com a causa dos trabalhadores, visando sempre à garantia de conquistas e direitos. Tarefas que Eusébio Pinto Neto exerce com destreza e maestria.

Despachando na sede situada no bairro do Grajaú.
Contamos com um corpo de diretores atuantes, onde delegamos e distribuímos tarefas para que cada um cumpra o seu papel”. O Fundador do SINPOSPETRO-RJ, também um dos pioneiros da Federação Nacional (FENEPOSPETRO), que representa hoje 55 sindicatos em todo o território nacional, Eusébio Pinto Neto conhece a fundo a categoria, isso facilita o diálogo e o relacionamento com as partes envolvidas na relação capital-trabalho, possibilitando o desenvolvimento do seu trabalho e dos diretores das duas entidades que representa.

Eusébio também atua como um dos conselheiros no SENAC. “Já participei de duas reuniões do conselho do SENAC, estou me inteirando e ouvindo, aprendendo nesse espaço que é dirigido pelo setor empresarial para a formação e qualificação do trabalhador, a maior parte dos recursos injetados vem da folha de pagamento do trabalhador, portanto devemos fazer valer nossos interesses e cobrar uma participação mais efetiva e decisiva”, disse.

O presidente lembrou que apesar da fundação do SINPOSPETRO-RJ ter acontecido em 2005, só puderam começar a negociar a partir de 2009, tiveram que obedecer ao prazo legal: “Somos uma categoria historicamente nova e estamos bem organizados e estruturados, já conseguimos desmembrar o sindicato e hoje contamos com três entidades representando os Frentistas no estado do Rio de Janeiro: Campos dos Goytacazes que representa o norte fluminense, Niterói que abrange São Gonçalo e região”.

O presidente com o diretor Renato Cândido no escritório da subsede em Nova Iguaçu. 
Eusébio atua e se posiciona firmemente sobre questões fundamentais:

A luta de classes se faz no dia-a-dia, é sempre um desafio avançar nas conquistas para o trabalhador, como melhores salários e mais benefícios, enfim trazer qualidade de vida para o trabalhador que é isso que interessa (...) o trabalhador sempre teve dificuldades, nunca houve nada fácil, nem mesmo quando o país esteve em um momento melhor, a luta de classes é permanente independente da crise, hoje estamos vivendo um momento muito difícil, sabemos que a crise do capitalismo é cíclica, e agora estamos enfrentando grandes dificuldades com uma agenda neoliberal implementada pelo governo Temer e que nós já esperávamos. Ele tem o controle do legislativo e até certo ponto uma grande influencia no poder judiciário, isso facilita muito a agenda desse governo, nós vamos ter grandes dificuldades em barrar algumas dessas medidas que pretende tirar direitos do trabalhador e que obedece a exigências do poder econômico do capital, não só nacional como internacional (...). Sofremos um golpe apoiado pelo EUA, tiraram uma presidente eleita democraticamente (...) todos os obstáculos são superáveis e eu tenho certeza que vamos superar, porém vai exigir uma sintonia do movimento sindical, dos movimentos sociais e de toda a sociedade para que a gente possa de forma unida enfrentar os desafios e reverter a favor do trabalhador e da sociedade, não podemos continuar num país que toda sua riqueza seja produzida em prol de uma minoria chamada elite, e em detrimento do sofrimento do povo (...). Espero que as pessoas se conscientizem da grandiosidade do nosso país e da nossa nação, para que assim consigamos transformar o Brasil num país justo para todo o povo”.

Assista a entrevista: